Vulcão Stromboli - Ilhas Eólias

Vulcão Stromboli: curiosidades sobre o “Farol do Mediterrâneo”


Atualizado em 19/11/2020

O vulcão Stromboli, que deu origem e nome à ilha onde está situado, é um dos vulcões ativos da Itália. Ele nasceu cerca de 160.000 anos atrás e, apesar das suas erupções muito frequentes, é um lugar que pode ser visitado tranquilamente.

Veja também: Vulcão Etna: 13 fatos curiosos sobre um dos vulcões mais ativos do mundo

O nome Stromboli deriva da palavre grega Στρογγύλη (Strongýli), que significa “redondo”, porque ele tem a forma de um cone. Juntamente com o Etna, é um dos dois vulcões atualmente ativos na Sicília.

 

Onde fica o vulcão Stromboli?

Stromboli é uma das ilhas que forma o arquipélago das Ilhas Eólias, pertencente à região da Sicília. O arquipélago é banhado pelo Mar Tirreno e fica na parte da costa da Itália localizada entre a Sicília e a Calábria.

 

O vulcão Stromboli é um dos mais ativos do mundo

Stromboli à noite
Quando o Stromboli está em erupção, o espetáculo à noite é lindíssimo!

 

Desde quando há registros históricos, o Stromboli está constantemente ativo, o que o torna quase único entre os vulcões do mundo. A maior parte de sua atividade consiste em breves e pequenas explosões de fragmentos incandescentes de lava a alturas de 100 a 200m acima das crateras.

São explosões que ocorrem de forma intermitente, com intervalos que normalmente variam de algumas dezenas de segundos a alguns minutos e que ocorrem a partir de crateras localizadas a cerca de 750 metros acima do nível do mar, próximo ao topo do vulcão.

Ainda, se considerarmos a continuidade da lava, e não o volume, o Stromboli é mais ativo do que o Etna.

 

Foi apelidado de “Farol do Mediterrâneo”

Vulcão Stromboli
Foto: Erwan Hesry – Unsplash

Os gregos chamavam o vulcão Stromboli de “Farol do Mediterrâneo”, por causa das suas erupções muito frequentes que iluminavam a noite e da lava incandescente era vista bem de longe.

 

Parece pequeno, mas não é

Vulcão Stromboli na Sicília

Se comparado a outros vulcões no mundo, inclusive ao Etna, o Stromboli pode parecer pequeno. Mas é só aparência. Ele chega a 924m de altura acima do nível do mar, porém o Stromboli “esconde” a maior parte de si. Como um iceberg, aquilo que a gente vê é apenas a ponta, pois o vulcão se estende até 3000m de profundidade.

A lava também não para no nível do mar, ela segue por cerca de 500m pelo mar abaixo, tanto que quase não há vida marinha nessa área.

 

Atividade estromboliana, o que significa?

Quando se fala de vulcões em geral, é muito comum ouvirmos a expressão “atividade estromboliana” ou “erupção estromboliana”. Isso não significa somente que se está falando do Stromboli, mas se refere a um tipo de atividade vulcânica. Como podemos imaginar, foi o Stromboli que deu o nome a ela.

explosão vulcão stromboli
Típica atividade estromboliana do Stromboli

 

A energia desenvolvida durante as explosões de um vulcão varia muito ao longo do tempo, e às vezes o vulcão lança fumaça e cinzas até alguns quilômetros de altura: este modo é totalmente típico de Stromboli e, por isso, é definido pelos vulcanólogos como atividade estromboliana. Este nome serve também para descrever atividades semelhantes de vulcões em todo o mundo.

 

Atividade normal, explosões perigosas e muito perigosas

Você pode está se perguntando quanto pode ser perigoso o vulcão Stromboli. Bem, isso vai depender do tipo de erupção.

vulcão stromboli
Atividade normal do vulcão Stromboli

 

Pode ser definida como atividade estromboliana normal aquela que também é a mais frequente: explosões do terraço da cratera, que projetam até algumas centenas de metros no ar estilhaços de lava, gás, lapilli e cinzas, materiais que então caem em prevalência dentro do mesmo terraço de onde emergiram.

Esta atividade não representa um perigo para os habitantes da ilha, nem para os cientistas e turistas que percorrem os caminhos que levam ao topo do vulcão, até ao Pizzo sopra la Fossa, um “mirante natural” a quase 900 metros acima do nível do mar, acima do terraço da cratera.

 

As grandes explosões e as violentas

Mas às vezes as explosões podem ser muito mais intensas – são chamadas de “grandes explosões” ou explosões perigosas.

No estado atual de conhecimento dos vulcões, é absolutamente impossível prever a possibilidade de uma grande explosão. O que se sabe é que elas ocorreram quatro vezes no segundo semestre de 2017 (27 de julho, 23 de outubro, 1 de novembro, 1 de dezembro) e quatro vezes nos primeiros quatro meses de 2018 (7 e 18 de março, 24 e 27 de abril).

Nestes casos ocorrem recaídas de “bombas vulcânicas” (é assim que se definem as “gotas” de lava ardente com diâmetro superior a 60 mm), lapilli e fragmentos de rocha, algun até bem grandes, que podem chegar próximo ao Pizzo sopra la Fossa e às trilhas que levam até lá.

Enfim, há as chamas explosões paroxísticas, que são fenômenos decididamente violentos, repentinos, que podem emitir magma que sobe muito rapidamente, vindo de grandes profundidades. É um tipo de explosão muito perigosa e um exemplo é aquela que aconteceu em julho de 2019. Veja o video abaixo.

 

Essas erupções lançam bombas vulcânicas, pedras incandescentes e fragmentos de rocha no ar até alguns quilômetros de altura, com precipitação de materiais que podem chegar no raio de alguns quilômetros das crateras.

Em alguns casos, como aconteceu em 1930, o material proveniente da erupção caiu ao solo, formando avalanches incandescentes ao longo dos lados do vulcão, até o mar. Tal evento é, de fato, muito perigoso, mas também raro (parece que este tipo ocorre em intervalos da ordem de dezenas de anos).

 

O vulcão Stromboli é habitado

Não, não estou falando de deuses que vivem nas entranhas do vulcão Stromboli…

A Ilha de Stromboli é habitada por cerca de 300 pessoas que vivem diretamente nas encostas de um dos vulcões mais ativos do mundo. No entanto, a ilha nem sempre foi assim tão escassamente povoada. No início do século XX, cerca de 4.000 pessoas moravam por lá. Mas depois de uma grande erupção e consequente tsunami em 1930 (a explosão paroxística que citei anteriormente), a maioria dos moradores da ilha partiu para os EUA e para a Austrália.

Uma ruazinha em Stromboli

 

Quando o vulcão começou a entrar em erupção quase continuamente alguns anos depois, a população diminuiu e, no final da década de 1940, apenas 15% dos moradores da ilha permaneciam. Em 1950, no entanto, o filme Stromboli, do diretor Roberto Rossellini, estrelado por Ingrid Bergman, colocou de novo Stromboli no mapa do turismo, atraindo visitantes do mundo inteiro.

Um premiado documentário da BBC, que você pode ver AQUI no Youtube (em inglês) mostra por que eles optam por ficar e leva os espectadores a conhecer um pouco da vida das pessoas que chamam Stromboli de lar, explorando as complexas razões pelas quais eles escolhem viver em um dos vulcões mais ativos do mundo.

 

E é também uma meta turística

Hoje em dia Stromboli é um dos vulcões mais visitados do mundo. Quando não há perigo, é possível fazer uma trilha para conhecer as proximidades da cratera, mas quem não é assim tão aventureiro pode simplesmente fazer um passeio de barco ao redor do vulcão ou melhor, aproveitar para relaxar um pouco nas praias ou na vila.

Pretende fazer turismo em Stromboli? Não deixe de ler: Stromboli: um passeio em um vulcão ativo

 

Nada de carros

Ilhas Eólias - como circular
Os “táxis” de Stromboli.

Não é permitida a circualação de carros em Stromboli, até porque quase não há estradas (a única estrada que poderia ser percorrida por um carro tem apenas 1km)! O que há são bicicletas e aqueles carrinhos de golfe elétricos, que inclusive servem de táxi para levar os turistas de uma parte para outra da ilha.

De qualquer maneira, a parte habitada de Stromboli pode ser percorrida em apenas 20 minutos de caminhada.

Fontes:

– Focus Science

– INGV – Instituto Nacional de Geografia e Vulcanologia da Itália

Então, gostaram de conhecer um pouco do vulcão Stromboli?

 

 

ASICILIA5

Veja Também

tour em Catânia em português

10 Curiosidades sobre Catania

O que lhe vem em mente quando você pensa em Catania? Certamente você sabe que …

Comente!