Vinhos da Calábria

vinhos da calábria

Os vinhos da Calábria podem não estar entre os mais famosos vinhos italianos, mas é uma região que produz ótimos rótulos. Além disso, algumas vinhas remontam à antiguidade, quando os gregos trouxeram as vinhas para plantar em suas novas colônias.

Assim, conheça alguns dos principais vinhos calabreses DOC e IGT, bem como suas características.

 

Vinhos da Calábria: os DOC mais importantes

Excluindo os vários vinhos “Terre di Cosenza” Doc, que são produzidos na inteira província de Cosenza, os vinhos da Calábria com Denominação de Origem Controlada (DOC) são 12. Eles são produzidos em uma área bem determinada e têm características enológicas, químicas e organolépticas estabelecidas pelas normas que regulam a sua produção.

Uvas Gaglioppo cultivadas na Calábria

 

1) Bivongi, produzido nas províncias de Reggio Calabria e Catanzaro

Os vinhos Bivongi Doc podem ser tintos, brancos e rosé. Por outro lado, para a produção de vinho tinto, novello (jovem) e rosé, utiliza-se as seguintes castas: Gaglioppo, Greco nero, Nero d’Avola e a pouco conhecida e difundida Castiglione, uma casta nativa da Calábria, presente apenas nas províncias de Cosenza e Reggio Calabria.

O tinto Bivongi é um vinho leve com teor alcoólico de cerca de 12°. Há também o tipo Riserva, com 2 anos de envelhecimento.

Além do tinto, também se produz o branco com as vinhas Greco Bianco, Malvasia, Ansonica e Guardavalle, uma casta nativa da Calábria, quase desconhecida. Tem um teor alcóolico de cerca de 11°.

 

2) Cirò, produzido nas cidades de Cirò e Cirò Marina e em parte dos territórios de Melissa e Crucoli

vinhos da calábria

Foto: Fábio Ingrosso – FlickR

O Cirò é produzido em 3 tipos: tinto, branco e rosé. Para os tipos Cirò tinto e rosé, as vinhas utilizadas são a Gaglioppo, Greco Bianco e Trebbiano Toscano.

É um vinho com um envelhecimento mínimo de 8 meses, mas pode chegar até 8/9 anos. O teor alcoólico do Cirò tinto é de 13°, enquanto para o tipo Superior é de 13,5 °. É um vinho a ser servido a uma temperatura de 18/20 °

As castas usadas para o Cirò Branco são a Greco Bianco e Trebbiano Toscano. Este vinho tem um teor alcoólico de 11° e deve ser servido a uma temperatura de 12ºC. Enfim, é excelente com pratos de peixe e também para acompanhar petiscos.

 

3) Donnici, produzido na província de Cosenza

Os vinhedos que irão dar origem ao Donnici crescem a cerca de 700m acima do nível do mar. Este vinho é produzido em 3 tipos: tinto, branco e rosé.

As vinhas utilizadas para a produção do Donnici tinto são a Gaglioppo, grego nero, malvasia branca ou Greco Bianco. É um vinho com um teor alcoólico de 11/12,5°.

Já para a produção do Donnici branco utiliza-se as castas Greco Bianco, Malvasia Branca, Montonico branco ou Magliocco branco. Tem um teor alcoólico de 11°.

 

4) Greco di Bianco, produzido na província de Reggio Calabria

A peculiaridade do Greco di Bianco é que as são deixadas para secar em prateleiras ou em secadores de ar forçado. Essa secagem reduz o peso das uvas em até 35%. No final desta operação, as uvas são prensadas e vinificadas em modo lento.

Enfim, o Greco di Bianco é um vinho “passito”, de cor amarela, tendendo ao dourado com eventuais reflexos âmbar, perfume de flor de laranjeira, sabor doce, suave, quente, cheio e harmonioso, elegante e com um final característico. O teor alcoólico é 14° (no mínimo) e tem uma predisposição notável ao envelhecimento.

Além disso, é possível produzir o Greco di Bianco somente no município de Bianco e em parte do município de Casignana. É um vinho que refere os climas mais ventosos e ensolarados.

 

5) Lamezia, produzido na província de Catanzaro

As vinhas utilizadas para produzir este vinho tinto são a Nerello Mascalese, Nerello Cappuccio, Gaglioppo, Magliocco, Greco nero e Marsigliana Nero. Tem um teor alcoólico de 12°.

Por outro lado, para a produção de Lamezia Bianco utiliza-se as vinhas Greco Bianco, Trebbiano Bianco, Malvasia branco. Tem um teor alcoólico de 11º.

 

6) Melissa, produzido na província de Crotone

Há dois tipos de Melissa DOC: tinto e branco

As vinhas que se utiliza para o vinho tinto são a Gaglioppo, Greco Nero, Greco Bianco, Trebbiano Toscano, Malvasia branco. Teor alcoólico 13°.

Por outro lado, para a produção de Melissa branco, utiliza-se as castas a Greco Bianco, Trebbiano Toscano e Malvasia Bianca. Teor alcoólico de 11,5 °.

 

7) Pollino, produzido na província de Cosenza

As uvas com as quais se produz este vinho tinto são a Gaglioppo, Greco Nero, Malvasia Bianca, Montonico Bianco, Guarnaccia Bianca. Tem teor alcoólico 12,5°. O Pollino Doc também é produzido no tipo Superior e tem um teor alcoólico de 13°.

O Pollino tem uma cor vermelho rubi pálido, um bouquet frutado bastante intenso e persistente, com notas de ameixas e groselhas. Além disso, tem um sabor seco, quente, razoavelmente macio, levemente fresco, justamente tânico, bastante sapido, encorpado e equilibrado.

 

8) Sant’Anna di Isola Capo Rizzuto, produzido nas províncias de Crotone e Catanzaro

O vinho Sant’Anna de Isola Capo Rizzuto pode ser tinto ou rosé. As castas utilizadas são a Gaglioppo, Nocera, Nerello mascalese, Nerello Cappuccio, Malvasia Nera, Malvasia Branca e Greco branco.

O teor alcoólico total mínimo do vinho Sant’Anna de Isola di Capo Rizzuto é de 12º. Deve-se servir o tinto a uma temperatura de 18°C e o rosé a 12-14°C.

 

9) San Vito di Luzzi, produzido na província de Cosenza

Obtém-se o vinho San Vito di Luzzi Rosso a partir das castas Gaglioppo, Malvasia, Greco Nero e/ou Sangiovese, além de outras uvas vermelhas locais, para o restante. O teor mínimo de álcool é de 11,5%.  A temperatura ideal para servir é de 16 a 18 graus.

Já no caso do San Vito di Luzzi branco, utiliza-se as castas Malvasia branca, Greco branco, Trebbiano Toscano. Tem um teor alcoólico de 11°.

 

10) Savuto, produzido nas províncias de Catanzaro e de Consenza

Produz-se o Savuto DOC nos tipos tinto, rosé e branco.

Para o tinto e rosé, utiliza-se as castas Gaglioppo, Aglianico, Greco nero e Nerello Cappuccio. Também é possível usar outras variedades de uvas pretas.

No caso do Savuto branco, as castas que podem ser usadas são: Mantonico, Chardonnay, Greco branco e Malvasia branco. Também neste caso, é possível usar outras variedades de uvas brancas, adequadas para o cultivo na região da Calábria.

 

11) Scavigna, produzido na província de Catanzaro

O Scavigna é um vinho de origens antigas. O nome deriva do grego (cavar, capinar a vinha) e resume a antiga vocação do território, ou seja, uma área onde o solo é escavado para plantar a vinha. É um vinho de alta qualidade, vida média, exibe sua fragrância (baunilha e mel) no início da juventude.

Obtém-se os vinhos “Scavigna” DOC branco a partir das castas Traminer Aromatico, Chardonnay, Pinot branco, Riesling itálico. Tem um tor alcoólico de 11°.

Por outro lado, no caso do tinto e do rosé, utiliza-se as castas  Aglianico, Magliocco, Marcigliana preto. Tem um teor alcoólico de 12°.

 

12) Verbicaro, produzido na província de Cosenza

As uvas que se utilizam para obter este vinho crescem em solos calcários, porosos e montanhosos. O vinho Verbicaro Doc é produzido com castas locais, como o Guarnaccia Nera, uma variedade autóctona do Gaglioppo, o Greco Nero, o Malvasia Bianca ou o Guarnaccia Bianca.

O Verbicaro Rosso Doc possui um teor alcoólico mínimo de 13% e o Rosé Doc de 10,5%. Enfim, a qualidade Riserva, com 2 anos de envelhecimento em barril, tem um teor alcoólico de 13,5%.

Por sua vez, obtém-se o Verbicaro branco Doc a partir das uvas Greco Bianco, Malvasia Bianca, Guarnaccia Bianca. Tem um teor alcoólico mínimo de 12%.

 

Vinhos da Calábria: os IGT mais importantes

Vinícola na Sicília: Marabino

São 13 os vinhos da Calábria com o selo IGT, ou seja, com Indicação Geográfica Típica. Eles são produzidos em determinadas regiões ou áreas geográficas, segundo normas menos restritivas e severas, se comparadas com as normas do DOC.

Os vinhos da Calábria IGT:

1) Arghillà, produzido na província de Reggio Calábria

2) Calabria, produzido no inteiro território da Região Calábria

3) Condoleo, na província de Cosenza

4) Costa Viola, vinho da província de Reggio Calabria

5) Esaro, da província de Cosenza

6) Lipuda, da província de Crotone

7) Locride, produzido na província de Reggio Calabria

8) Palizzi, vinho da província de Reggio Calabria

9) Pellaro, da província de Reggio Calabria

10) Scilla, vinho da província de Reggio Calabria

11) Valdamato, produzido na província de Catanzaro

12) Val di Neto, da província de Crotone

13) Valle del Crati, da província de Cosenza

 

Enfim,  são inúmeros os vinhos da Calábria com as indicações DOC e IGT. Agora cabe a você escolher o melhor ou os melhores, de acordo com o seu gosto e o seu paladar, durante uma deliciosa viagem enogastronômica!

 

Marcações:

Comente!