Santa Caterina: uma das mais impressionantes igrejas da Itália

igrejas mais bonitas da Itália

Uma das igrejas mais bonitas da Itália fica em Palermo. Afirmo isso com toda convicção e sei que você talvez concorde comigo ao visitar a igreja de Santa Caterina.

A Igreja de Santa Caterina d’Alessandria d’Egitto fica em pleno centro de Palermo. De fato, sua fachada principal fica em frente à igreja da Martorana, enquanto seu lado esquerdo dá para a Praça Pretoria e a Fontana della Vergonha. Sendo assim, ela pode perfeitamente entrar em qualquer roteiro em Palermo.

Mas o que ela tem assim de tão especial? Por que eu a considero uma das igrejas mais bonitas da Itália? Certamente a resposta está em seu interior.

Fontana Pretoria em Palermo

A fachada lateral (rosa), em frente à Fonte.

 

Por dentro de uma das igrejas mais bonitas da Itália

Sem dúvida alguma a fachada simples da igreja de Santa Caterina não dá a mínima ideia daquilo que há em seu interior, todo decorado em estilo barroco com elementos rococó.

Ao entrarmos lá é impossível não nos impressionarmos com os detalhes, com os mármores, os afrescos e a infinidade de decorações que cobrem cada centímetro das paredes, do piso e das colunas. Enfim, uma quantidade de obras que nenhuma outra igreja da cidade possui em tal abundância.

O interior da igreja de Santa Caterina tem uma única nave, com três capelas de estilo rococó de cada lado. Entre os elementos que mais se destacam, estão:

  • Os altos relevos laterais que contam cenas da Bíblia;
  • O altar principal feito de pedras semipreciosas, como ágatas verdes e cinzas e ornamentos de cobre dourado;
  • Nas laterais há dois anjos de madeira com mantos e asas em folha de prata
  • O altar direito com a estátua de Santa Catarina representada com a coroa, símbolo da realeza segundo a iconografia tradicional;
  • O afresco da abóbada, de Filippo Randazzo, que retrata a “Glória de Santa Catarina”;
  • Os preciosos estuques de Procopio Serpotta (filho de Giacomo Serpotta) e Giacomo Guastella.
igrejas mais bonitas da Itália

Detalhes dos alto relevos

igrejas mais bonitas da Itália

O altar principal. É ou não é de deixar qualquer um boquiaberto?

igrejas mais bonitas da Itália

Afresco “O Triunfo de Santa Caterina (1744) de Filippo Randazzo, realizado entre 1566 e 1596.

 

A história da igreja de Santa Caterina

A igreja de Santa Caterina, com o mosteiro adjacente, foi fundada no início do século XIV e inicialmente servia para abrigar prostitutas.

Posteriormente, entre 1566 e 1596, por vontade de Irmã Maria del Carretto, madre superiore do mosteiro dominicano, todo o complexo sofreu grandes transformações e tornou-se um dos mosteiros de clausura mais importantes de Palermo. Além disso, nos séculos seguintes, as mudanças continuaram. Por exemplo, no século XVIII adicionaram a cúpula e em 1863 o coro foi construído.

No entanto, durante algumas revoltas que aconteceram no século XIX, o complexo sofreu danos consideráveis. De fato, as marcas ainda podem ser vistas em parte das paredes.

Enfim, desde 2014, o mosteiro de Santa Caterina não acolhe mais as freiras da Ordem Dominicana e toda a estrutura é administrada pela Cúria de Palermo. Além disso, por muitos anos a igreja de Santa Caterina ficou fechada, reabrindo em 2016.

Quando a simplicidade da parte externa, em estilo renascentista tardio, esconde totalmente o que há por dentro de uma das igrejas mais bonitas da Itália!

 

City tour em Palermo
A igreja de Santa Caterina pode entrar no roteiro do city tour em Palermo. Você poderá ouvir toda a história e explicações de cada detalhe contado por uma guia de turismo que fala português e especializada na arte e cultura siciliana. Saiba Mais.

 

O mosteiro

O mosteiro de Santa Caterina também fica aberto para a visitação. Na verdade, ele sempre chamou a minha atenção, pois esteve presente em diversos romances ambientados em Palermo. É que aquele convento recebia meninas provenientes das mais ricas famílias nobres de Palermo. Quando elas se tornavam freiras, levavam para o mosteiro seu dote. Por isso tanta riqueza num só lugar!

O claustro é muito bonito, decorado com plantas, chão de ladrilhos e aquela decadência ditada pelo tempo. Aquele era um local de meditação para as freiras que passaram toda a sua vida lá.

O claustro

Do claustro, um corredor leva a uma pequena escada que conduz a outro corredor. Ali é possível ver do lado de fora as celas das freiras ainda mobiliadas. Em cada uma delas você pode ver objetos e pisos de cerâmica, um mais bonito que o outro.

É possível visitar a sala das assembléias, o refeitório, os quartos reservados para a madre superior e a cozinha. Além disso, na parte de cima, fica o coro onde as freiras participavam das missas. Lá você pode ver um bom número de cerâmicas, mas acima de tudo paredes com afrescos e uma vista da igreja através das grades.

Uma curiosidade
Os recém-nascidos, frutos de relações fora do casamento ou abandonados por algum outro motivo,  eram acolhidos no convento.

A imagem de Santa Catarina em meio à suntuosidade do barroco.

 

A visita aos terraços

Você é uma daquelas que pessoas que adora fotografar as cidades do alto? Então não deixe de visitar os dois terraços do mosteiro (ingresso à parte). Embora seja necessário encarar 140 degraus, a subida vale a pena.

O primeiro terraço tem vista para a Piazza Bellini e, portanto, de um lado estão as igrejas da Martorana e San Cataldo enquanto, do outro, o antigo bairro de Kalsa. Por outro lado, o segundo terraço dá para a Piazza Pretoria e sua fonte.

A vista de um dos terraços. A Fontana da Vergonha e a cúpula da igreja de San Giuseppe dei Teatini

 

Por fim, uma curiosidade: até 1866 os terraços eram galerias cobertas e protegidas por grades. Somente assim as freiras podiam olhar para as ruas da cidade e ver o que estava acontecendo no mundo que haviam deixado para trás.

 

I segreti del chiostro

Embora as últimas freiras tenham se mudado em 2014, a tradição da confeitaria continua viva no I Segreti del Chiostro, a doceria do convento especializada em doces tradicionais.

Resultados de intermináveis horas de pesquisa, os doces são receitas raras produzidas há séculos nos conventos sicilianos. Além disso, tudo é feito com ingredientes de altíssima qualidade.

Por exemplo, eles fazem o Fedde del Cancelliere, uma mistura de geleia de damasco e biancomangiare (manjar de amêndoas) envolto em uma concha de marzipã. A frutta martorana (frutinhas de marzipã) é incrivelmente macia e não muito doce, enquanto os cannoli são recheados na hora.

 

 

Mais informações

Para visitar a igreja de Santa Caterina é necessário pagar um ingresso. O complexo, constituído por Igreja e Mosteiro, abre todos os dias das 9h30 às 13h30 e das 15 às 19h.

Uma dica: Ao lado da igreja, na bilheteria, observe a roda embaixo do balcão, usada pelas freiras de clausura não apenas para passar os doces aos clientes, como também para receber crianças abandonadas.

Ingressos
  • €3 o ingresso comum
  • 2 o ingresso reduzido para quem tem bilhetes do Circuito Sagrado
  • €1 ingressos para menores de 18 anos e grupos com guia
  • €5 ingresso para visitar o terraço
  • € 7 combo igreja + terraço
  • €8 combo mosteiro + terraço
  • €8 combo igreja + mosteiro
  • €10 combo igreja, mosteiro e terraço

 

Enfim, Palermo é uma cidade realmente cheia de igrejas magníficas, mas Santa Caterina é um verdadeiro triunfo da arte e da suntuosidade do Barroco. Certamente você vai se encantar com seus interiores, que não só estão entre os mais incríveis para se visitar em Palermo, mas também que a torna uma das igrejas mais bonitas da Itália.

 

Comente!