O Comissário Montalbano é um personagem criado por Andrea Camilleri, um dos maiores escritores italianos da atualidade. Seus livros são populares não só na Itália, mas também em diversos outros países, incluindo o Brasil, Portugal, França, Estados Unidos, Reino Unido, só para citar alguns.

O personagem do comissário um tanto mal humorado sabe como cativar os leitores. De fato, os fãs não só gostam de acompanhar os crimes que Montalbano tem que resolver, mas também as extensas descrições dos pratos típicos que o comissário adora. Por exemplo, um dos passatempos favoritos dele é almoçar em uma bela trattoria ou se deliciar com cannoli e arancini (bolinhos fritos de risotto).

Clique para ir direto ao assunto:

Andrea Camilleri, o pai de Montalbano

Andrea Camilleri nasceu em 1925, em Porto Empedocle, uma cidadezinha no sul da Sicília, próximo a Agrigento e a Scala dei Turchi. Em suma, um lugar sem monumentos famosos, habitada principalmente por pescadores e trabalhadores.

LEIA TAMBÉM:  Porto Empedocle e a Vigata de Andrea Camilleri

Uma infância na Sicília

Camilleri aprendeu a ler e escrever desde muito cedo, graças à mãe e à avó materna. Já no seu primeiro ano na escola, ele começou a ver de perto a pobreza que assolava a Sicília naquela época. Por exemplo, seus colegas de classe penduravam os sapatos no pescoço, de modo a economizá-los. De fato, os meninos só os calçavam depois da escola, quando iam para casa. E este é um pequeno detalhe que, para Camilleri, simboliza as péssimas condições em que muitos sicilianos crescem. Além disso, em algumas entrevistas, ele contava que quase nunca comia toda a merenda, pois a dividia com as outras crianças.

Durante sua vida escolar, Camilleri fazia longas caminhadas no campo ao redor de Agrigento e se acomodava à sombra das colunas gregas dos templos do Vale dos Templos para ler em paz. Ele passou o ensino médio sem muitos problemas e tinha planos de estudar na Universidade de Florença. Ali, graças a um amigo de seu pai, ele poderia conseguir um estágio no jornal La Nazione.

No entanto, após a chegada dos americanos à Sicília em 1943, Camilleri teve que abandonar esse sonho. De fato, ele acabou se matriculando na Universidade de Palermo, no curso de literatura, que nunca concluiu.

A vida adulta em Roma

Durante a universidade, ele começou a escrever poemas e contos, que foram publicados em jornais e revistas. Camilleri continuou fazendo isso quando se inscreveu em um curso de direção de cinema e encenação na Accademia Nazionale d’Arte Drammatica Silvio d’Amico, em Roma.

Em termos de trabalho, muitas portas se abrem para o talentoso siciliano. Camilleri dirige peças de ninguém menos que Luigi Pirandello e Samuel Beckett. Roma também o favorece de outras maneiras. Por exemplo, é lá que ele encontra a mulher dos seus sonhos, Rosetta. Eles se casaram em 1957 e tiveram três filhas, Andreina, Elisabetta e Mariolina. Segundo Camilleri, graças às críticas de sua esposa, ele teve que reescrever dezenas de páginas, para melhorar não só seus artigos, como também suas histórias.

Apesar dos comentários críticos de Rosetta e do estilo de narrativa visual de Camilleri, seu primeiro livro, Il corso delle cose, foi rejeitado por nada menos que 14 editoras. No entanto, o escritor não desistiu, também graças aos bons conselhos e ao apoio do colega escritor Leonardo Sciascia.

A persistência venceu, porque a obra foi finalmente publicada em 1978. Um ano antes, Camilleri havia se tornado professor de direção de cinema na mesma academia onde estudou. Mas além de lecionar, ele também gostava de escrever, embora tenha ficado muito tempo sem publicar nada.

Finalmente, em 1992, saiu o romance La stagione della caccia (traduzido como A temporada de caça). O livro vendeu razoavelmente bem, mas não é nada se comparado com o sucesso de seus romances posteriores.

O nascimento de O Comissário Montalbano

Camilleri só alcançou o sucesso real em 1994, aos 69 anos, quando lançou seu primeiro livro sobre o comissário da polícia Salvo Montalbano. A obra em questão é  La forma dell’acqua (traduzido para o português como A forma da água).

O personagem desvenda mistérios e resolve crimes na aldeia fictícia de Vigata, na Sicília. O nome do detetive foi uma homenagem ao escritor espanhol Manuel Vazquez Montalban.

Depois da criação de Montalbano, Andrea Camilleri não conseguiu parar de inventar histórias. Seguiram-se mais 37 livros de Montalbano. E, de fato, as obras se tornaram tão populares, a ponto de serem transformadas em uma série de TV na Itália.

Mas além das aventuras de Montalbano, é importante ressaltar que Camilleri também escrevia sobre assuntos que o interessavam pessoalmente, como a máfia siciliana, o escritor Luigi Pirandello e Caravaggio.

Comissario Montalbano em Porto Empedocle

Estátua do Comissário Montalbano em Porto Empedocle

O adeus

Andrea Camilleri, um dos escritores mais famosos e amados da Itália, faleceu em 17 de julho de 2019, aos 93 anos. Sem dúvida alguma ele deixou um patrimônio artístico, humano e cultural inestimável.

Livros do Comissário Montalbano

Antes de mais nada, apenas 15 dos livros da série de O Comissário Montalbano foram traduzidos para o português até o momento. Entretanto, espera-se que os últimos romances possam ser traduzidos em breve.

Enfim, veja abaixo quais livros que foram traduzidos para o português. O elenco segue a ordem de publicação. Certamente, se você ler seguindo uma ordem cronológica, poderá entender ainda melhor os personagens, tramas e o humor de Andrea Camilleri.

1) A forma da água

Título original: La forma dell’aqua

A forma da água é o primeiro livro da série Montalbano, que recomendo fortemente se você ainda não tiver lido nada de Camilleri.

Silvio Lupanello, um figurão de Vigàta, é encontrado morto em seu carro com as calças abaixadas. O carro está estacionado em uma parte da cidade usada por prostitutas e traficantes de drogas e, à medida que a notícia de sua morte se espalha, começam os boatos. Enfim, com sua mistura peculiar de humor, cinismo, compaixão e amor pela boa comida, Montalbano luta contra os poderosos e corruptos que estão determinados a impedí-lo de descobrir o verdadeiro assassino.

 

2) O cão de terracota

Título original: Il cane di Terracotta

Antes de mais nada, eu adorei O Cão de Terracota. O livro narra uma história que se desenvolve na época da 2ª Guerra Mundial.

Durante uma investigação sobre um tráfico de armas, inspecionando uma caverna que serve de depósito de munições, Montalbano descobre uma passagem que leva a outra caverna, onde encontra dois cadáveres: um rapaz e uma moça mortos há cinquenta anos. Os corpos estão abraçados e vigiados por um cão de barro em tamanho real. Indiferente ao perigo, a motivação de Montalbano para solucionar esse antigo crime o obriga a uma viagem pela história da Segunda Guerra Mundial na Sicília.

 

3) O ladrão de merendas

Título original: Il ladro di Merendine

O Ladrão de Merendas gira em torno de uma possível promoção de Montalbano a subchefe da polícia de Vigata. Embora muitos desejem ser promovidos, isso para Montalbano seria um pesadelo. De fato, a promoção significaria mais trabalho burocrático e menos tempo para se dedicar à sua grande paixão, que é a investigação criminal. Assim, enquanto foge da burocracia e se dedica à sua outra paixão, a comida, Montalbano investiga dois crimes aparentemente sem ligação: a morte violenta de um tunisiano em um barco pesqueiro e o esfaqueamento de um comerciante de Vigata dentro de um elevador.

 

4) A Voz do Violino

Título original: La voce del violino

Desta vez, Montalbano deve encontrar assassino de uma bela senhora de Vigata, morta em sua casa. Mas os problemas da vida privada não são menos complicados para o comissário. Por exemplo, tem a questão do filho adotivo, bem como a da eterna noiva Lívia, que insiste com a realização do casamento.

 

5)Um mês com Montalbano

Título original: Un mese con Montalbano

Em síntese, esta obra trata de uma série de 30 contos, que envolveria o leitor por exatamente um mês, lendo uma história todos os dias, como o próprio autor afirma na nota final. A maior parte das histórias é inédita, enquanto outras foram publicadas anteriormente em algumas revistas locais.

 

6) O ano novo de Montalbano

Título original: Gli arancini di Montalbano

Segunda coletânea de contos de Camilleri. Nela Montalbano se depara com crimes e criminosos inusitados. Por exemplo, um casal de atores que recita, em sua intimidade, um roteiro fúnebre; aposentados acima de qualquer suspeita que enganam prostitutas; esposas fiéis planejando vingança cruel contra seus maridos…

 

7) Excursão a Tindari

Título original: Gita a Tindari

A história deste livro se passa entre Vigata e Tindari, um lugar da Sicília realmente existente. Três pessoas foram assassinadas: um rapaz mulherengo que levava uma vida acima de suas possibilidades, e dois idosos que, de repente, decidem fazer uma excursão a Tindari. Primeiramente, parece que a única coisa em comum entre eles é um condomínio, mas Montalbano sabe ler os sinais…

 

8) O cheiro da noite

Título original: L’Odore della Notte

Em “O Cheiro da Noite” o Comissário Montalbano não é mais tão jovem assim. E, de fato, ele sente o peso da idade. Além disso, as marcas deixadas por todas as investigações anteriores ressurgem aqui e ali, trazendo consigo um pouco de nostalgia.

Mas além do problema da idade, o mistério roda em torno de um caso anômalo em que o cadáver não aparece no início. Juntamente com isso, não é Montalbano o responsável pela investigação, mas se intromete nela.

 

9) O medo de Montalbano

Título original: La paura di Montalbano

Esta é uma coletânea de 6 contos, e cada um fala de um mistério diferente que Montalbano tem que desvendar.

 

10) Guinada na vida

Título original: Il Giro di Boa

Um dos livros mais interessantes da série, “Guinada na vida” fala sobre uma das investigações mais difíceis para Montalbano, tocando, entre outras coisas, um dos temas mais problemáticos da Itália, ou seja, a imigração ilegal nas costas do sul do país.

 

11) A paciência da aranha

Título original: La pazienza del ragno

No final do romance anterior, Guinada na Vida, Montalbano foi ferido no ombro durante um tiroteio. E agora, no início desta nova aventura, o comissário está se recuperando na cama de sua casa, cuidado por sua amada Lívia. Entretanto, sua mente retorna constantemente ao momento do tiro, à operação, às recomendações dos médicos.

Em suma, o que este livro de Andrea Camilleri propõe é um Montalbano melancólico e deprimido. Ao mesmo tempo, é também um personagem inquieto e atormentado pela crise existencial. O avançar da idade, os problemas de saúde, a distância do trabalho fazem com que ele se torne sombrio, e nem mesmo os cuidados com a sua eterna namorada Lívia parecem confortá-lo. Apenas a notícia de um novo caso inexplicável de desaparecimento parece reanimá-lo. Enfim, ele decide se jogar de cabeça na investigação, por um senso de dever, mas talvez ainda mais para lutar contra o tédio ou para se sentir ativo e vital novamente.

 

12) A primeira investigação de Montalbano

Título original: La prima indagine di Montalbano

Em síntese, esta é uma coletânea de 3 contos longos que apresentam um policial muito jovem, em início de carreira. Além disso, ele ainda não se relaciona com Lívia, mas com uma certa Mery.

Por fim, o lugar de suas investigações não é a Vigata de sempre, mas um remoto vilarejo de montanha no interior da Sicília com o engraçado nome de Mascalippa.

 

13) A Lua De Papel

Título original: La luna di carta

O sangue está de volta nas investigações de Montalbano. Neste livro, Camilleri trata de um crime cruel em uma casa nos arredores de Vigata. Tudo parece levar ao motivo passional, mas o Comissário não se deixa enganar. E assim como em “A paciência da aranha” encontramos um comissário Montalbano mais pensativo do que de costume, quase intimista.

 

14) A caça ao tesouro

Título original: La caccia al tesoro

Antes de tudo, são enigmas, charadas e anedotas criptografadas a conduzirem o fio dessa história. Além disso, estranhas cartas anônimas com instruções para uma caça ao tesouro despertam a curiosidade de Montalbano. O jogo, no entanto, torna-se sombrio e “afunda em abismos sombrios e sórdidos”. Em suma, é uma história perturbadora, sangrenta, com um comissário mais propenso à reflexão.

 

15) Uma voz na noite

Título original: Una voce di notte

Uma Voz na Noite fala de um mistério onde um assassinato é, na verdade, tratado como suicídio. E isso é algo que acaba deixando Montalbano atordoado. É a 20ª edição da série de livros Montalbano e uma leitura divertida porque Montalbano faz 58 anos!

O Comissário Montalbano na TV

Em 1999, a emissora italiana RAI lançou o seriado “Il Commissario Montalbano”. A série durou 15 temporadas e seu último episódio foi ao ar em 8 de março de 2021. Fazia parte do elenco nomes importantes da televisão italiana, como Luca Zingaretti no papel de Montabano, Cesare Bocci, Angelo Russo e Peppino Mazzotta.

Os episódios foram filmados no sudeste da Sicília e os diálogos eram uma mistura de italiano e dialeto siciliano.

Em 2012, a RAI também produziu outra série de TV chamada “Il Giovane Montalbano” (O Jovem Montalbano), que é um prequel da série. Devo dizer que me surpreendeu, não esperava que fosse tão boa quanto a original!

Comissário Montalbano

O ator Luca Zingaretti no papel de Montalbano

Onde assistir ao Comissário Montalbano

Em Portugal, o Comissario Montalbano é transmitido pela RTP2. Por outro lado, quem está no Brasil pode assistir a alguns episódios da série pela RaiPlay. Enfim, quem se encontra na Itália, pode assistir às reprises que de vez em quando vão ao ar na Rai 1, ou então utilizar a RaiPlay.

Tour Montalbano na Sicília

Antes de mais nada, se você é fã de O Comissário Montalbano, ao vir para a Sicília, não pode deixar de fazer o tour pelas locações da série! Ou então, se for ficar mais tempo em Agrigento, pode aproveitar para ir a Porto Empedocle, embora não haja muito para ver lá.

Em suma, eu lhe aconselho a visitar as cidades de Modica, Ragusa, Scicli e a praia de Punta Secca, onde fica aquela que é a Casa de Montalbano (nos livros a casa fica na cidade fictícia de Montelusa).

LEIA TAMBÉM:  Vigata: As cidades que são locações da série O Comissário Montalbano

Uma das minhas idas a Scicli coincidiu com o período das gravações.

Veja ainda:

 

Mas agora me conte, você já leu algum livro de Camilleri? Compartilhe sua opinião e suas dicas nos comentários!

 

 

Quer receber no seu e-mail notícias, novidades e curiosidades sobre a Sicília e o restante da Itália? Então cadastre-se na nossa newsletter!
Não se preocupe, pois odiamos spam! Enviamos no máximo um e-mail por mês.

Comente!