Cidades Fantasma da Sicília: Poggioreale e Gibellina

cidades fantasma da Sicília

As cidades fantasma da Sicília representam uma página importante da história da ilha. De fato, os edifícios abandonados e ruas desertas descrevem um passado e testemunham a existência de uma vida e um movimento que já não existem mais. Em alguns casos, essas cidades foram abandonadas por causa de eventos naturais, como terremotos, mas em outros simplesmente não sobreviveram à ação do tempo, sucumbindo às consequências do despovoamento de algumas zonas rurais.

De todo modo, uma coisa é certa: ninguém esperava é que um dia algumas das cidades fantasma da Sicília se transformariam em verdadeiras atrações turísticas!

Mas por que isso aconteceu? O que esses lugares têm que atrai as pessoas a visitá-los? Sem dúvida, os cenários inquietantes e insólitos que encontramos por lá nos levam a uma reflexão, a pensar como eram antes, ou como poderiam ser se não tivessem sido abandonados.

Quer receber no seu e-mail notícias, novidades e curiosidades sobre a Sicília e o restante da Itália? Então cadastre-se na nossa newsletter!
Não se preocupe, pois odiamos spam! Enviamos no máximo um e-mail por mês.

Cidades Fantasma da Sicília: Poggioreale

Antes de mais nada, Poggioreale não é só uma das cidades fantasma da Sicília. Ela é “A CIDADE FANTASMA” que primeiramente vem em mente quando se fala de lugares abandonados.

cidades fantasma da Sicília

Na madrugada de 15 de janeiro de 1968 um violento terremoto atingiu o chamado Vale do Belice, destruiu algumas cidades do oeste da Sicília. Entre elas, Poggioreale. Depois do terremoto, decidiu-se não restaurar as casas, pois acreditava-se que seria um gasto maior do que se a cidade fosse reconstruída em outro lugar. E exatamente isso que foi feito: uma nova Poggioreale, mais “moderna”, foi construída a alguns quilômetros de distância da cidade atingida pelo terremoto.

No entanto, ao longos dos anos desenvolveu-se um turismo interessado nas ruínas da “velha Poggioreale”. De fato, embora a ferida do terremoto ainda seja visível, suas estradas mantiveram-se intactas, assim como alguns edifícios. Em síntese, transformaram-se em uma fotografia que imortalou a Sicília de antes de 1968.

cidades fantasma da Sicília

Por fim, a velha Poggioreale foi muitas vezes cenários para diversos filmes, como Malena e O Homem das Estrelas.

Cidades Fantasma da Sicília: Gibellina

O centro histórico de Gibellina também foi destruído no terremoto de 1968. E assim como Poggioreale, também neste caso a nova cidade foi resconstruída em outro lugar.

No entanto, o prefeito da cidade na época, Ludovico Corrao, decidiu chamar inúmeros artistas de fama internacional para contribuirem na reconstrução, pois a ideia era criar uma cidade-museu. Corrao tinha paixão pela arte e também era muito sensível aos temas civis e sociais. Ele tinha muitas ligações com artistas e arquitetos da época, e conseguiu o apoio de Arnaldo Pomodoro, Leonardo Sciascia, Pietro Consagra, entre outros.

Mas um artista em específico se recusou a contribuir com a cidade nova. Trata-se de Alberto Burri. De fato, sua ideia era deixar um rastro do passado através de uma obra moderna. Assim, ele realizou o chamado “Grande Cretto“, uma obra que compacta os 12 hectares de ruínas em uma única peça de cimento branco.

A obra “Cretto di Burri”. Debaixo desse cimento encontram-se as ruínas do centro histórico de Gibellina, destruído no terremoto de 1968.

Antes de mais nada, para realizá-la, os destroços foram reunidos com a ajuda de escavadeiras. Em seguida, foram compactados e mantidos em blocos com a ajuda de redes metálicas. Por fim, sobre estes blocos, que recriam a antiga estrutura urbana da cidade, derramou-se cimento branco líquido.

Cada fenda entre os blocos tem entre 2 e 3 metros de largura. Por sua vez, os blocos têm entre 1,60m e 1,70m de altura. Com isso, forma-se um imenso labirinto, que se torna um percurso de reflexão. Em suma, é como um elogio fúnebre, uma coberta de proteção daquilo que um dia existiu e jamais poderá ser esquecido.

Outras cidades fantasma na Sicília

Além de Poggioreale e Gibellina, outros lugares abandonados que podem ser chamados de cidades fantasma são os seguintes:

  • Bazzina Alta (na ilha de Lipari
  • Baccarato (província de Enna)
  • Borzellino (província de Palermo)
  • Borgo Lupo (Mineo)
  • Borzellino (província de Palermo)
  • Borgo Riena (Castronovo)
  • Cunziria (Vizzini)
  • Gioiosa Guardia (província de Messina)
  • Massa San Nicola (província de Messina)
  • Milè (província de Messina)
  • Noto Antica (Noto)
  • Rajù (província de Messina)
  • Schirò (província de Palermo)
  • Scurati (província de Trapani)
  • Villaggi Schisina (província de Messina)
  • Zucco Grande (ilha de Filicudi)
Dicas de Noto: cidade antiga

Ruínas de Noto Antiga. Leia mais sobre ela em Dicas de Noto: o que mais ver além do básico

Lugares de reflexão

Sem dúvida, as cidades fantasma da Sicília são lugares preciosos que, inesperadamente preservam obras arquitetônicas e edifícios de grande interesse cultural. Enfim, elas ainda podem contar histórias e guardar segredos, que só os mais temerários podem tentar descobrir.

 

Comente!