Castelo de Donnafugata, um nome famoso nas obras literárias

castelo de donnafugata, sicilia

O Leopardo (em italiano, Il Gattopardo), obra-prima de Tomasi di Lampedusa imortalizada no cinema por Luchino Visconti, narra a história de uma família aristocrática siciliana do século XIX,  que se refugia no feudo de Donnafugata.  Sendo assim, por causa da homonimia com o castelo da obra de Lampedusa, são inúmeros os turistas desavisados que visitam o Castelo de Donnafugata com a ilusão de que se trata daquele de O Leopardo. É só ao chegarem lá que se dão conta de que não se trata do mesmo lugar.

Situado a cerca de 15km de Ragusa, no sudeste da Sicília, o Castelo de Donnafugata é, na verdade, um palácio. Ele foi construído no século XVII e erroneamente chamado de castelo.

Donnafugata… uma mulher em fuga?

Tem quem diga que o castelo foi chamado assim por causa da fuga da rainha Branca I de Navarra (donnafugata,  mulher em fuga), presa no castelo pelo conde Bernardo Cabrera. O conde queria se casar com ele e, consequentemente, tornar-se rei. Por outro lado, tem quem diga que o nome deriva da expressão árabe Ayn as Jafat (Fonte da Saúde), que em dialeto siciliano virou “Ronnafuata“, e então Donnafugata”. Esta última é a versão mais aceita dos fatos, visto que o episódio da fuga da rainha ocorreu antes da construção do palácio.

Castelo de Donnafugata

O castelo de Donnafugata encontra-se em uma zona rural é está rodeado por campos bem verdinhos e pastos. É um ambiente tão bucólico que chamou a atenção de um barão em 1648, o qual o comprou para fazer do lugar sua casa de campo. Ao longo das gerações, o palácio recebeu inúmeras reformas, a mais importante no final do século XIX que deu a ele a forma que possui hoje, com a fachada em estilo neogótico veneziano.

Castelo de Donnafugata

A visita ao Castelo de Donnafugata

O palácio tem 120 cômodos, mas é possível visitar somente 20 deles. Os ambientes são decorados com os móveis originais da época, tudo de um luxo incrível. É proibido fotografar o interior do palácio, por isso só pude fazer fotos externas, mas clicando aqui você poderá fazer o tour virtual dos principais cômodos, como o fantástico salão dos espelhos, a sala de bilhar, a sala da música e a pinacoteca.

Além disso, ao redor do castelo há um enorme parque de oito hectares. Ali há algumas estruturas que serviam de diversão para os hóspedes do palácio, como grutas artificiais, uma capela, uma sala de café e até mesmo um labirinto! 

"<yoastmark

Em suma, mesmo não sendo o palácio onde foi filmado O Leopardo, vale a pena visitar o Castelo de Donnafugata, sobretudo se você se encontra em Ragusa ou nas cidades vizinhas. Sem dúvida é uma ótima oportunidade para conhecer um pouco do estilo de vida e dos ambientes que frequentavam os nobres sicilianos, tão bem retratados na literatura.

Por fim, uma tal “Villa Donnafugata” também é citada no romance Um Certo Verão na Sicília, de Marlena de Blasi. Certamente a escritora se inspirou no nome do castelo para criar o lugar fictício onde se passa a história.

Castelo de Donnafugata

Informações úteis:

  • O ingresso para o castelo+parque custa 8 euros (somente castelo € 6 e somente parque € 3). Maiores de 65 anos e menores de 18 pagam meia-entrada. Crianças até 6 anos não pagam;
  • Horário de abertura: No período de 27/10 até 31/03, às quartas, sextas e sábados, das 9 às 13h. Às terças, quintas e domingos, das 9 às 13h e das 14h45 às 16h30. Entre 01/04 e 26/10, às quartas, sextas e sábados, das 9 às 13h, e às terças, quintas e domingos, das 9 às 13h e das 14h45 às 17h30. Não abre às segundas-feiras.
  •  Na frente do castelo há lanchonetes e restaurantes. Em um deles comi muito bem (deliciosos pratos típicos de Ragusa) e paguei um preço camarada. Na frente de cada um tem os cardápios que você pode ler e escolher qual mais o atrai.

 

Como chegar ao Castelo de Donnafugata

Atualmente o único modo de ir ao castelo é de carro. Mesmo existindo uma estação próximo ao castelo, não há trens ou linhas de ônibus que passam lá.

 

Marcações:

Comente!