Pantelleria

10 coisas para fazer na ilha de Pantelleria

Um lugar encantador onde mar, vento e aromas se misturam criando algo absolutamente único. Pantelleria é assim.

Esta ilha situada bem no meio do Mediterrâneo, entre a Europa e a África, com seu charme inquestionável, nos ensina o que é realmente integração, quase comunhão. Aqui as ruas e os bairros têm nomes árabes (Gadir, Bukkuram, Bugheber), mas os idosos falam firmemente o dialeto siciliano e brindam com seu amado Zibibbo.

Quando chegamos a Pantelleria, seja de avião ou de navio, é impossível não notar logo a beleza áspera da maior ilha da Sicília. Por trás de cada curva, o panorama se desenrola em todo seu esplendor: o mar de um azul intenso, rochas negras, contrastando com o verde dos vinhedos e das plantas de alcaparras.


Uma ilha como Pantelleria a gente só visita se realmente é apaixonado pela natureza e pela gastronomia. Este é o meu caso e, por isso, acabou virando um dos lugares do meu coração. Assim, preparei algumas dicas do que ver e fazer em Pantelleria, se você decidir colocá-la - e espero que o faça - no seu roteiro de viagem pela Sicília.

 

Leia também: Pantelleria, dicas práticas para planejar a sua viagem.

1 - Banhar-se no lago "Espelho de Vênus"

Diz a lenda que Vênus, deusa do amor e da beleza, encontrou na ilha de Pantelleria, "seu Espelho", "sua grande Concha" cheia de água vítrea onde podia admirar o reflexo de sua própria beleza.

Mitologia à parte, o lago Espelho de Vênus (em italiano, Specchio di Venere) é um lago de origem vulcânica, cujas águas são ricas de enxofre. Além da beleza, a característica principal do lugar é a sua lama preciosa e as águas termais quentes.

A lama do lago tem propriedades terapêuticas e é usada também em cosmétivos, tanto que há até uma linha de produtos de beleza criados com ela, que você encotnra em diversas lojas de produtos típicos da ilha. Muitas pessoas se cobrem com a lama morninha e deixam secar. Dizem que é ótima para a psoríase e deixa a pele bem macia!

A estrada que leva ao lago também é parte integrante da beleza do lugar: a vista do lago que quando você sai da última curva é algo indescritível. O lago está lá, imenso, plácido, com águas cristalinas. E tem mais, ele muda de cor de acordo com o horário em que você vai, dependendo da intensidade da luz do sol!

2 - Visitar pelo menos uma vinícola

Quando se fala em Pantelleria, você, apreciador de vinhos, pensa logo no quê? Em Passito di Pantelleria, não é mesmo?

O Passito é um vinho doce é uma DOC (denominação de origem controlada) desde 1971. É um vinho único no que diz respeito a concentração de riqueza de perfumes e grande amplitude no paladar, tudo isso graças ao seu terroir exclusivo. Nada de estranho, visto que Pantelleria fica em uma faixa do Mediterrâneo onde as uvas são particularmente doces e pode ser desidratada melhor do que em outras latitudes.

Pantelleria também é caracteriza pelo sistema de condução das vinhas, chamado "alberello". Uma prática única no mundo, tanto que em 2014 virou Patrimônio Cultural Imaterial da Unesco.

Leia mais AQUI sobre o passito e as videiras cultivas em alberello.

Dito isso, se você não dispensa um bom vinho, então visitar uma vinícola em Pantelleria é fundamental. São várias as vinícolas da ilha que oferecem visitas e degustações guiadas. Só para citar algumas, indico:

  • Cantina Basile: uma vinícola pequena, administrada em família, onde é possível fazer uma degustação de 4 vinhos acompanhada por petiscos. Essa foi a primeira vinícola que visitei em Pantelleria e gostei muito. Fiz um aperitivo no final da tarde e a vista do pôr do sol de lá é linda!
  • Vinícola Marco de Bartoli: Em frente a Basile fica a Marco de Bartoli, um nome importante no que diz respeito a vinhos sicilianos. Um dos passitos produzidos por eles, o "Padre della Vigna" é considerado um dos melhores da Itália. Na Marco de Bartoli em Pantelleria é possível fazer a degustação de 4 vinhos, inclusive os mais importantes. Nesta, no entanto, não há comida, mas tive uma ótima experiência e até hoje tenho uma ótima lembrança dos vinhos de lá. Quer me dar um presente? Me dê um vinho Marco de Bartoli! 😀
Fiz a degustação na Marco de Bartoli em um fim de tarde. A paisagem é linda!
  • Donnafugata: Dispensando apresentações, a Donnafugata é, talvez, a vinícola siciliana mais conhecida no Brasil. É na sede de Pantelleria que é produzido o famoso e premiadíssimo Ben Ryé e lá, durante os meses do verão, é possível fazer quatro tipos de degustação, inclusive opções com brunch e jantar.

3 - Comer o "Bacio Pantesco"

O Bacio Pantesco (beijo de Pantelleria) é um dos doces típicos da ilha. Trata-se uma massa frita e crocante, recheada com ricota e pedacinhos de chocolate. Estou escrevendo aqui, salivando enquanto lembro deles.

Quando vou a Pantelleria os como no café da manhã, como sobremesa, como merenda. Toda hora é hora, porque são deliciosos!

4 - Mergulhar no Arco do Elefante e na Balata dei Turchi

Pantelleria - Balata dei Turchi

Ao contrário de outras ilhas da Sicília, Pantelleria não é um lugar que se destaca bela beleza do mar, onde as pessoas vão unicamente para curtir as praias de água turquesa.

Não há nenhuma praia de areia ou beach clubs. Alguns pontos adequados para o banho têm acesso difícil por causa das pedras, o que a torna uma ilha não muito adequada para quem está com crianças pequenas. Ressalto que Pantelleria é uma ilha de origem vulcânica, muito rochosa, por isso você não encontrará aquele aspecto caríbico que encontra em Lampedusa ou Favignana.

As minhas praias favoritas em Pantelleria são:

1. Arco do elefante

Pantelleria - Arco do Elefante
Conseguem enxergar o olho e a orelha?

Certamente, o lugar mais característico da ilha, um dos arcos naturais mais bonitos da Itália. O famoso arco é nada mais do que uma enorme rocha de lava com forma de tromba de elefante que desce ao mar e realmente lembra um paquiderme, inclusive com olhos e orelhas. A descida para o mar neste ponto é fácil, mas as águas são profundas. Vale a pena mergulhar e nadar até o arco!

2. Balata dei Turchi

"Balata" significa rocha plana, assim como este grande fluxo de lava era usado como um ponto de atraque nada menos que por piratas (os piratas que chegavam à Sicília eram chamados de turcos!). Para chegar à Balata dei Turchi é preciso percorrer um bom trecho de estrada de chão, impossível de se fazer com um carro normal. Nós conseguimos percorrê-la com um scooter, apesar de ser quase quase mais adequado para uma moto de cross!

Pantelleria - Balata dei Turchi
A Balata dei Turchi é ótima para a prática de snorkeling. Eu avistei uma estrela do mar!

Apesar da estrada ruim, o acesso ao mar em si não é difícil. Ela é, na minha opiniao, a praia mais bonita de Pantelleria e costuma ficar cheia no mês de agosto. Se você não chegar cedo, vai precisar disputar seu lugar "na pedra" com outras pessoas. Não há serviços, apenas um vendedor de água, sucos e merendas que de vez em quando chega lá em cima com o carrinho.

5 - Fazer uma sauna natural

A sauna de Pantelleria, ou gruta de Benikulà, é um dos milagres da natureza que persiste apesar da modernidade. Trata-se de vapores intermitentes com temperatura de cerca 40 graus que saem das profundezas da Terra. Os vapores são um fenômeno de vulcanismo secundário,vistos a olho nu quando emergem da fenda na rocha.

Para chegar à gruta, é preciso caminhar por cerca de 15-20 minutos com trechos em subida (não é difícil). O percurso é bem sinalizado e, uma vez lá em cima, parece que estamos entrando em um esconderijo secreto.

Uma vez na entrada da gruta, deixe suas roupas e pertences do lado de fora e, com traje de banho, entre na sauna! Conforme você vai entrando, os olhos se acostumam com a escuridão e dá para entrever os degraus da rocha que funcionam como assentos.

Confesso que dá um certo medo entrar, mas tentei focalizar no fato que morcegos e outros bichos não poderiam ficar ali dentro com todos aqueles vapores.

Dicas:

  • Vá com roupas e calçados apropriados para trekking, porém com trajes de banho por baixo;
  • Leve água e toalhas;
  • Não fique dentro da sauna por mais de 20 minutos, você pode fazer uma pausa e depois voltar. Lembre-se de manter-se constantemente hidratado, mesmo se você não estiver com sede, seu corpo precisa disso!

6 - Fazer trekking em meio a fumarolas

Pantelleria

Em Pantelleria tem atividades para os amantes do trekking também! Se você visita a ilha em um período não muito quente, uma boa dica é fazer uma caminhada na área da Favara Grande para admirar este curioso evento vulcânico... as fumarolas!

Trata-se de poderosos jatos de vapor de água misturados com minerais (às vezes também acompanhados por ácido sulfídrico e dióxido de enxofre), que emergem em modo intermitente do subsolo em vários pontos, através de fendas nas rochas. Estas, por causa dos gases ácidos, acabaram ficando da cor de tijolo, com tons avermelhados nas proximidades das saídas de vapor.


Para chegar à Favara Grande, será necessário pegar a estrada que liga Tracino a Rekhale passando pela Piana della Ghirlanda. Tomando a estrada que sobe a colina você chegará na Via dei Soffioni. Depois de cerca 100m depois fica um estacionamento, onde você pode deixar seu carro.

Uma caminhada de cerca de 30 minutos estará esperando por você, oferecendo vistas de cartão postal!

7 - Assistir ao pôr do sol

O pôr do sol em Pantelleria nos presenteia sempre com cores surpreendentes. Nos dias claros, olhando sempre para sudoeste a partir do mar, é possível avistar a África, mais especificamente a costa da Tunísia e o sol que vai se pondo lá atrás!

Os melhores lugares para ver o pôr do sol em Pantelleria são o distrito de Scauri, dos penhascos de Sataria, do Bue Marino e lá do alto da Montanha Grande. Lugares disputadíssimos são os bares e restaurantes que oferecem a vista para o pôr do sol, por exemplo o bar Sesiventi (eles fazem um aperitivo no teto do dammuso, chiquérrimo) e a vinícola Pellegrino, que também oferece degustação no pôr do sol.

 

8 - Fazer o giro da ilha de barco

O único modo de ver as diferentes praias de Pantelleria em um único dia é fazer um passeio de barco ao redor da ilha.

Ao fazer um passeio de barco, principalmente se for uma embarcação pequena, é possível se aproximar das grutas e tomar um banho nas enseadas (calette) mais bonitas. Normalmente nos passeios está incluído almoço a bordo, com muito macarrão, vinho zibibbo e uvas, retornando ao porto no final da tarde.

No verão, a ilha, na minha opinião é fundamental fazer um passeio de barco porque, como falei antes, o acesso a algumas praias é realmente difícil. Além disso, alguns pontos bonitos da ilha são inacessíveis por terra. Sem falar no calor africano que faz em Pantelleria nos meses de julho e agosto! A impressão que eu tinha, ao caminhar por Pantelleria em agosto, era de estar dentro de um forno de pão gigante.

No porto de Pantelleria é possível tanto alugar barcos pequenos e botes, quanto contratar passeios.

9 - Banhar-se nas águas quentes de Gadir

Pantelleria - Gadir

Gadir é um lugar mágico de Pantelleria, com águas termais doces, mas ricas de sais minerais e que atingem temperaturas que variam de 40 a 50 graus durante todo o ano.

As piscinas são escavadas na rocha junto ao mar, ao ar livre. Você pode ir lá dia e noite em qualquer época do ano. Imaginem que eu tomei banho de "piscina" ali no dia 1º de janeiro! Foi uma experiência inesquecível.

As qualidades terapêuticas das águas são conhecidas há milhares de anos. Dizem que elas tratam artrite e reumatismo. Nas paredes dos tanques cresce uma alga muito utilizada pela sua eficácia no tratamento de sinusite, resfriados e pequenos problemas respiratórios.

Os tanques, localizados nos pontos onde a água brota no nível do mar, são facilmente acessíveis. Eles são de tamanhos diferentes. Nos menores cabem apenas uma pessoa.As maiores formam piscinas reais com profundidade máxima de 70 cm. Uma coisa importante: antes de entrar, ponha a pontinha do pé na água para certificar-se que não esteja muito quente!

10 - Hospedar-se em um "Dammuso"

ilha de Pantelleria

Dammuso é a rústica casa de pedra, típica de Pantelleria, de origem árabe, coberta por uma cúpula branca baixa. Esta cúpula tinha uma função fundamental: direcionar a água da chuva através de calhas que levavam até uma cisterna subterrânea. Em uma ilha onde chovia tão pouco, não se podia desperdiçar nem uma gota!

Eu me hospedei em três dammusos diferentes e aconselho muito dois deles, porque tive anfitriões excepcionais e são propriedades muito bem localizadas. São eles:

  • Dammusino di Pantelleria (clique AQUI para ver preços e disponibilidade)
  • Dammusi Villa Giò (clique AQUI para ver preços e disponibilidade)

Há muitas outras opções de dammuso transformadas em casa de férias ou hotéis e hospedar-se em um deles ajuda a entrar em sintonia com a ilha e com suas pedras negras que, como escreveu Gabriel Garcia Marquez quando visitou a ilha em 1969, "tornam Pantelleria parecida com a lua, porém mais bonita".

 

E aí? Topa conhecer Pantelleria?

Veja Também

Dicas de Lampedusa

Lampedusa: dicas práticas e conselhos de viagem

Compartilhe!FacebookTwitterGoogle+PinterestemailPrintLampedusa tem cada vez mais se tornado uma das metas mais procuradas da Sicília. Com …

4 comentários

  1. Adorei conhecer os “damusso”, porque é mesmo esse tipo de alojamento, pequeno e tradicional, que gosto de usar nas minhas viagens. Obrigado pela partilha e grande abraço desde Portugal.

    • Patricia Kalil

      Olá Filipe,

      Acompanho suas viagens e tenho certeza que você iria adorar Pantelleria!

      Um grande abraço,

      Patricia

  2. Oi, Patrícia. Tudo bem? 🙂

    Seu post foi selecionado para o #linkódromo, do Viaje na Viagem.
    Dá uma olhada em http://www.viajenaviagem.com

    Até mais,
    Bóia – Natalie

Comente!