Logo

Carroça siciliana

Carroça siciliana: um ícone da tradição popular da Sicília

Por

A carroça siciliana é um dos ícones populares mais reconhecidos da Sicília e com certeza quem já esteve por aqui viu o famoso “carretto”, todo colorido.

O “carretto siciliano” é uma carroça toda ornamentada, puxada por um cavalo ou um burro, que tinha a finalidade de transportar tanto pessoas quanto mercadorias. Com o passar do tempo, acabou se tornando uma obra-de-arte que caminha, uma tela onde os artistas podiam mostrar seu trabalho e até mesmo um canal de propaganda.

Apesar da carroça em si ser um veículo antigo, o Carretto Siciliano só surgiu mesmo no início do século XIX, uma vez que até o século XVIII as condições das estradas da Sicília eram precárias (isso quando existiam) e, por isso, o transporte era feito ou de cavalo, ou via mar. Com a construção de uma rede viária adequada à passagem de veículos de tração animal, as carroças sicilianas começaram a se difundir porque eram pequenas, práticas e funcionais, ideais para o transporte de lenha, de barris de vinho, de azeite e outros produtos agrícolas, mas também um meio de transporte para levar a família toda para fazer um passeio.

As carroças das pessoas mais pobres, eram simples, apenas com alguns desenhos e pintadas pelo simples motivo de preservar a madeira da ação corrosiva de agentes atmosféricos. Já os mais ricos confiavam suas carroças a verdadeiros artistas, que as decoravam em modo exuberante.

 

Como nasce uma carroça siciliana

A construção de uma carroça siciliana não é (ou era) simples, as peças que a formavam eram trabalhadas, aperfeiçoadas e montadas artesanalmente. Para construir e definir uma, eram necessários vários trabalhadores e meses de trabalho contínuo. Havia uma pessoa especializada em construir a carroça e esculpir os frisos. Um escultor criava os raios das rodas e os elementos representativos. Um ferreiro forjava as peças metálicas e se encarregava da montagem de tudo que tivesse pinos, parafusos, porcas, suportes e jantes e, às vezes, até fazia decorações de ferro forjado. Outro artesão realizada os arreios e decorações dos cavalos.

Quando a montagem da carroça terminava, o trabalho passava para o decorador e o pintor. Um decorava a carroça siciliana com motivos geométricos, as superfícies da caixa, rodas, etc, o outro realizava os detalhes e o acabamento, representando em forma de pintura as histórias de cavaleiros, seres mitológicos, eventos históricos ou fictícios que caracterizam a carroça siciliana, tornanda-o única. As cores utilizadas eram sobretudo o amarelo, vermelho, verde, laranja, ouro e prata e as cenas pintadas contavam verdadeiras histórias, como um gibi.

De todo modo, as ilustrações coloridas e bem elaboradas da carroça siciliana ajudaram a transmitir conhecimento a uma população que em sua maior parte era analfabeta.

Os tipos de carroça siciliana

Podem parecer semelhantes, mas na verdade existem três tipos de carroça siciliana (com base na função): Há uma com lados baixos e retangulares, chamadas “U Tiralloru”, que serviam para transportar a terra; outra com lados retangulares maiores, usada para transportar trigo e chamada “U Furmintaru”; enfim, aquela denominada “U Vinaloru”, com lados em forma de trapézio e tábuas inclinadas, utilizada para o transporte de vinho.

A carroça assume diferentes características também dependendo da área em que é produzida.

Na área de Palermo, a carroça tem lados trapezoidais, a tinta de fundo é amarela e há principalmente decorações geométricas. Os temas representados variam entre histórias de cavaleiros e religiosas, realizadas basicamente com tons de vermelho, verde, amarelo e azul.

Carroças “estacionadas” em uma rua de Palermo, a salita Artale.

Em Catania, as laterais são retangulares, a tinta de fundo é vermelha (simbolizando a lava do Etna) e as esculturas e decorações são mais refinadas e com um melhor acabamento, diferente do estilo mais simples de Palermo. Há muito mais entalhes que dão uma perspectiva tridimensional, e nas pinturas há mais detalhes de cores, sombras e efeitos claro-escuro.

Detalhes de uma carroça siciliana realizada segundo o estilo de Catania. Foto: Commons.

Menos conhecido é o estilo de Vittoria, no qual a carroça siciliana tem uma estrutura semelhante àquela realizada em Catania, tendo o vermelho como a cor de fundo, mas nas máscaras se distingue pela sua característica gradação escura. As pinceladas, tanto nas pinturas quanto nas decorações, caracterizam-se por um golpe limpo, “instintivo”, em oposição ao pincel refinado e matizado da região de Catania.

 

Da zona rural para as passarelas e lojas de souvenir

Obviamente a carroça siciliana não é mais usada para o transporte nos dias de hoje, mas elas ainda mantêm um lugar especial na cultura popular da ilha e acabaram virando um objeto de decoração, um souvenir que os turistas podem levar para casa de lembrança.

As versões em miniatura das carroças podem ser encontradas na maioria das lojas de souvenir e a tradição continua em veículos motorizados modernos, como as Ape Piaggio, Vespas, Fiat 500, que são pintados no espírito das carroças clássicas.

Ape Piaggio carroça siciliana

Um caminhãozinho Ape Piaggio, usados na zona rural hoje em dia, pintado como se fosse uma carroça siciliana. Foto: @liberamente – Flickr

E como não podemos falar sobre toda a linha de moda de roupas de banho, roupas de alta moda, óculos de sol, que Dolce e Gabbana dedicaram ao carretto siciliano? Até mesmo a fabricante de eletrodomésticos Smeg colaborou com os designers, realizando uma linha exclusiva de eletrodomésticos inspirada no tema siciliano.

Já imaginou uma dessas na sua cozinha? Você pode ter uma geladeira Smeg com design Dolce & Gabbana pela bagatela de 30.000 euros :D.

Com o passar dos anos, a carroça siciliana foi reinventada de várias maneiras, um exemplo do espírito criativo deste povo. Apesar de ter quase desaparecido, ainda representa o objeto mais conhecido e significativo da arte popular siciliana.

 

Museus da Carroça Siciliana

Se você quer conhecer um pouco mais do trabalho desses incríveis artesãos, hoje em dia raros, pode visitar alguns dos museus do “carretto”. Os principais são:

  • Em PalermoMuseo del Carretto Siciliano Franco Bertolino: O Sr. Franco é um construtor e, acima de tudo, um decorador de carroças sicilianas. Em toda a Sicília, continua a ser o único artista que, há cinco gerações, ainda realiza carroças na área de Palermo. A oficina dele fica pertinho da Catedral de Palermo, na Salita Artale, um beco que é um verdadeiro um museu ao ar livre, com carroças históricas e outros veículos decorados.

Uma das obras do Sr. Franco que fotografei na Salita Artale.

  • Em Aci Sant’Antonio (Catania) – Na pequena Aci Sant’antonio, região metropolitana de Catania, existe um museu com uma ótima coleção de carroças sicilianas típicas, muito coloridas e expostas de forma visível. Você pode apreciar os detalhes pictóricos e esculturas encontrados sobre esses antigos meios de transporte sicilianos. Alguns painéis ilustram a história e a técnica do carrinho em detalhes. Há também alguns componentes dos carros em exibição. A entrada é gratuita e funciona de segunda a sexta-feira das 9 às 12h / das 16h às 19h; aos sábados das 9 às 12h. Endereço: Via Vittorio Emanuele, 120 – Aci Sant’Antonio.

 

  • Em Bronte: O Museu inclui, além das maravilhosas carroças, também carruagens e antigas charretes, uma quantidade considerável de obras (mais de 300 peças) entre bancos, rodas, ornamentos de cavalos, plumas, frascos e muito mais, parte do folclore tradicional siciliano. A entrada é gratuita, mas o museu só abre mediante pedido. Entre em contato com eles clicando aqui.

 

 

 

Assine nossa newsletter mensal e receba dicas da Sicília no seu e-mail!

Comente!

Veja mais