Isola Bella - Taormina

Isola Bella: a charmosa reserva natural de Taormina

Por

Compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestEmail this to someonePrint this page

Quando a gente chega a Taormina, vindo da estação ou de Giardini Naxos, a um certo ponto, entre uma curva da estrada e outra, avistamos uma ilhota que se destaca em meio a um marzão azul. É Isola Bella, a ilhota que dá o nome a uma das praias de Taormina.

Isola Bella atiça a nossa curiosidade porque a gente vê uma ilhota repleta de vegetação e com uma casa no topo. Não tem como não se perguntar se ali vivia alguém, porque uma pessoa construiria uma casa ali, se é possível visitar, etc. Assim, com este texto vou tentar matar a sua curiosidade, mas já adianto uma coisa: sim, é possível entrar na Isola Bella e visitá-la!

Isola Bella fica situada dentro da baía do mesmo nome, delimitada pelo promontório de Sant’Andrea ao norte e Capo Taormina ao sul. A ilhota, de pouco menos de 8.000 m², é unida ao continente por uma pequena faixa de areia que, dependendo da maré, pode ficar submersa.

Isola Bella - Taormina

Um pouquinho da história de Isola Bella

Os primeiros documentos de Isola Bella datam de 1806, quando o rei das Duas Sicílias, Ferdinando I de Bourbon, doou a ilhota à cidade de Taormina. Por volta de 1890, foi comprada por uma rica nobre inglesa, Lady Florence Trevelyan, por um valor de 14 mil liras (que hoje equivaleriam a cerca de 60 mil euros. Uma pechincha).

Lady Florence Trevelyan era uma parente próxima da rainha Vitoria da Inglaterra. Ela ficou órfã ainda muito jovem e a rainha Vitoria cuidou dela, transmitindo à moça seu amor pelo botânica e pelos pássaros. No entanto, dizem as más línguas que Florence teve um romance proibido com o filho da rainha, o futuro rei Eduardo VII e, aos 27 anos, ela teve que ser mandada para bem longe da Inglaterra. Foi assim que Florence começou a viajar pelo mundo inteiro. Mais tarde, ela se estabeleceu em Taormina, onde se casou e foi responsável pelo embelezamento de dois lugares que hoje são grandes pontos turísticos da cidade: o jardim público e Isola Bella.

Isola Bella - Taormina

Isola Bella, um verdadeiro jardim tropical

Depois que Florence comprou Isola Bella, mandou plantar na ilha plantas tropicais que, misturando-se com a vegetação mediterrânea presente na ilha, ainda formam um cenário único no mundo de hoje: uma ilha-jardim cercada por águas azul-turquesa. Dá para imaginar Florence passando as tardes em Isola Bella, cuidando de suas plantas, tomando um chá enquanto admirava aquela paisagem deslumbrante!

Isola Bella - Taormina

Além de flores silvestres, Florence cuidava de belas buganvílias, calêndulas, papoulas e flores de hibisco. Há cactos de várias formas e tamanhos, plantas de agave e aloe vera florescente. O jardim também abriga laranjeiras e vários pés de figos da índia.

Isola Bella - Taormina

Florence morreu em 1907 e Isola Bella foi vendida a uma outra família. A ilha acabou ficando abandonada até 1958, quando foi adquirida por outra família aristocrática, os Bosurgi, que ali construíram uma casa luxuosa (aquela no topo). A casa foi cuidadosamente projetada para que ficasse em harmonia com a paisagem natural da ilha e sua vegetação exuberante. Foi construída uma piscina de água salgada e parte da casa tinha piso de vidro, de modo que pudesse ser visto o fundo do mar. Incrível, não é?

Isola Bella

 

Em 1982, com falência de uma empresa da família Bosurgi, Isola Bella foi a leilão e sucessivamente adquirida pelo Governo da Sicília. Em 1984, a ilha foi declarada “patrimônio de interesse histórico e artístico e uma herança da humanidade”.Em 1987 foi instituído o Museu Regional dos Bens Naturais e Naturalísticos de Isola Bella e, em 1998, enfim instituída a Reserva Natural.

Isola Bella - Taormina

Vale a pena visitar o Museu só para dar de cara com essas molduras naturais maravilhosas!

Como visitar Isola Bella

O Museu de Isola Bella faz parte do Parque Arqueológico de Naxos, que também abriga o Teatro Grego de Taormina e a Área Arqueológica de Giardini Naxos, outros símbolos indispensáveis ​​do patrimônio artístico e turístico desta região.

Isola Bella pode ser alcançada a pé, seguindo pela faixa de areia que a conecta ao continente (espere que a maré esteja baixa, senão quiser se molhar!). O ingresso é vendido diretamente no local e custa 4 euros. É possível visitar parte da casa, percorrer os corredores de pedra, admirar o mar do outro lado da ilha e imaginar como Florence Trevelyan passava seu tempo ali, mais de 100 anos atrás!

Isola Bella - Taormina

Os corredores de pedra da casa de Isola Bella.

Isola Bella - Taormina

Do terraço dos fundos da casa. Que quintal, heim!

Isola Bella pode ser visitada de terça a domingo, das 9 até 15h no inverno e das 9 às 19h no verão. Os horários podem sofrer alterações de acordo com as condições meteorológicas.

 

Como chegar a Isola Bella

De teleférico: Se você estiver hospedado na parte alta de Taormina, a Funivia Taormina-Mazzarò irá levá-lo a Isola Bella em apenas 5 minutos. A estação do teleférico fica na Via Luigi Pirandello. O teleférico funciona a cada 15 minutos, das 7h45 às 20h (no verão funciona até 1h da manhã).

O bilhete custa € 3 (para não ter que comprar duas vezes, você pode já comprar o bilhete de ida e volta, pagando 6 euros.

A pé: Se você tem medo de descer de teleférico, ou este está quebrado (acontece, heim!), ou ainda está só com vontade de descer a pé despenhadeiro abaixo, a partir do Belvedere, o mirante da Via Pirandello, há uma trilha que leva até a praia.

Isola Bella - Taormina

Prepare-se para descer muuuuitos degraus até a praia!

 

Assine nossa newsletter mensal e receba dicas da Sicília no seu e-mail!

Comente!

Veja mais