Logo

Oratórios de Palermo - Santa Cita

Oratórios de Palermo e os tesouros de Serpotta

Por

Compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestEmail this to someonePrint this page

Se você é fã da arte barroca e da escultura, não pode deixar de visitar os oratórios de Palermo. Eles são de deixar qualquer um, até os mais leigos no assunto, boquiabertos!

Passear no centro histórico da cidade é uma experiência fascinante, mas complexa: de um lado lindas igrejas, monumentos imponentes, bares e restaurantes bem animados, lojas interessantes, do outro edifícios decadentes, desordem, mas também tesouros da arte de grande importância, escondidos em igrejas simples ou ruas secundárias, como é o caso dos oratórios de Palermo.

Os oratórios eram, antigamente, pequenos edifícios localizados em lugares isolados onde os ermitões viviam em retiro. Os castelos feudais de época medieval também tinham oratórios privados e os grandes mosteiros também os usavam para as cerimônias do chefe da comunidade. No século XVI, com a Reforma Católica, os oratórios se difundiram e frequentemente eram construídos na parte superiores das igrejas ou conventos, como é o caso dos oratórios de Palermo.

Em Palermo há vários, mas neste post eu apresento a vocês os quatro mais importantes, aqueles que entram no roteiro chamado “Il Genio di Palermo”, ou seja, os lugares que foram decorados pelos estuques de um dos maiores escultores da história da Sicília: Giacomo Serpotta. São eles os oratórios de Santa Cita, San Domenico, San Lorenzo e San Mercurio.

Oratórios de Palermo - Santa Cita

Um detalhe da obra de Serpotta no Oratório de Santa Cita.

Quem era Giacomo Serpotta?

Provavelmente você nunca ouviu falar dele, eu mesma não tinha a menor ideia de quem fosse até entrar em uma das igrejas de Palermo junto com a Raffaella, guia de turismo, que me fez prestar atenção naquelas esculturas que pareciam ter vida, obras de Giacomo Serpotta.

Pois bem, Serpotta era um dos escultores italianos mais famosos do século XVIII , famoso por ter criado uma verdadeira revolução estilística e cultural, renovando a técnica do estuque, tradicionalmente popular e pobre, transformando-a em arte refinada. O estuque é uma mistura de gesso, pó de mármore, cal e areia.

Serpotta era filho e neto de artesão que trabalhavam o mármore e ele cresceu em contato com os artistas da Palermo barroca. Após a morte do pai, quando Giacomo Serpotta tinha apenas 17 anos, ele passou a frequentar os ateliers de outros artistas, principalmente estucadores, especializando-se nesta arte. Ao contrário do mármore, que era um material particularmente caro, o estuque era mais barato e, por isso, os pedidos multiplicaram-se enormemente naqueles anos, quando esta técnica ficou na moda. Estamos falando do período barroco.

O talento surpreendente de um grande escultor presentou as igrejas e oratórios de Palermo com um triunfo branco brilhante ao longo das paredes, dando vida a uma profusão de figuras maravilhosas.

Oratórios de Palermo - Santa Cita

Oratório de Santa Cita: Uma moça tocando uma teorba, estátua que representa a música da palavra divina, mas também o fato de Serpotta amar trabalhar escutando o som do liuto. Dizem que ele exigia um liutista e uma garrafa de vinhos nos seus contratos!

Oratórios de Palermo: Santa Cita

O oratório de Santa Cita é uma das atrações artísticas mais famosas de Palermo. Ele foi inaugurado em 1686, anexo à igreja de San Massimiliano (quase totalmente destruída nos bombardeios da 2ª Guerra Mundial). A companhia do Santíssimo Rosário de Santa Cita era muito rica e o oratório deveria refletir o status social de seus membros, personagens importantes da burguesia da época.

Oratórios de Palermo - Santa Cita

Oratórios de Palermo – Santa Cita

Primeiramente chamaram um pintor romano para realizar a magnífica tela do altar dedicada a Nossa Senhora do Rosário, mas a parte mais interessante do oratório são os painéis realizados por Serpotta, uma das maiores obras-primas do artista. Nas duas paredes laterais se dispõem filas de figuras alegóricas e querubins, como se estivessem sentados no parapeito das janelas, observando o que acontece lá embaixo.

Oratórios de Palermo - Santa Cita

Também são muito interessantes os chamados “teatrini”, decorações em alto-relevo que ilustram os Mistérios do Rosário e a Batalha de Lepanto.

Oratórios de Palermo - Santa Cita

No centro da parede de fundo, a Batalha de Lepanto.

 

Oratório del Rosario di San Domenico

A poucos metros do Oratório de Santa Cita fica o do de San Domenico, cuja realização foi financiada pela ordem dos dominicanos em 1574. Por mais de um século seus membros disputavam entre si quem o decoraria. Assim, ordenavam aos artistas mais famosos da época um quadro após o outro e, por isso, quando entramos no oratório vemos uma série de quadros alinhados lado a lado, incluindo obras-primas de Matthias Stomer, Guglielmo Borremans, Pietro Novelli, etc.

Oratórios de Palermo - San Domenico

A intenção da companhia do Rosario di San Domenico era criar um lugar onde arte e espiritualidade se encontrassem, como sublime exemplo didático na construção do caráter e das atitudes dos confrades. Por causa da sua riqueza e quantidade de obras de arte contidas no oratório, ele foi considerado um dos lugares mais suntuosos da cidade.

O que nos impressiona no oratório de San Domenico é que, comparado aos outros oratórios, onde reina o branco, aqui são as pinturas a dominarem a cena. A tela principal que está no altar, é a de Antoon van Dyck, que ilustra Nossa Senhora do Rosário com São Domingo, Santa Catarina, São Vicente Ferrer e as santa sicilianas Agata, Rosália, Ninfa, Oliva e Cristina. É o painel de altar mais importante realizado por van Dyck na Itália.

Oratórios de Palermo - San Domenico

A tela de Van Dyck no altar do oratório de San Domenico

Por volta de 1710, Giacomo Serpotta foi encarregado de terminar a decoração do oratório com os estuques. O artista se encontrava no período mais madura da sua carreira e o resultado foi uma autêntica obra de arte branca e dourada, com as virtudes vestidas como grandes damas segundo a moda da época e dezenas de anjinhos gorduchos que parecem sair das paredes para observar os quadros. Enfim, uma maravilha.

Oratórios de Palermo - San Domenico

Oratórios de Palermo - San Domenico

 

Oratório de San Lorenzo

O Oratório de San Lorenzo é uma das mais belas obras-primasda cidade de Palermo, um daqueles lugares que nos deixam maravilhados. Ele e o de Santa Cita são os meus preferidos. O oratório foi construído no final do século XVI num edifício privado ao lado da igreja de São Francisco, e ao longo dos anos foi enriquecido por obras incríveis.

Oratórios de Palermo - San Lorenzo

Entre os elementos importantes do oratório, se destacam obviamente os estuques de Serpotta que decoram as paredes e realizados no período entre 1699 e 1707. Nas duas paredes laterais há “teatritni” que narram episódios da vida dos santos, intercaladas com estátuas alegóricas representando as virtudes. Tudo isso cercado por um número incrível de querubins, ocupados em realizar várias atividades. Eles parecem, de fato, crianças travessas que gostam de fazer brincadeiras e provocações, sem se importar com as coisas ao seu redor.

Oratórios de Palermo - San Lorenzo

 

 

Mas no oratório de San Lorenzo não são só as esculturas de Giacomo Serpotta que chamam a atenção. Ali se encontra(va) um quadro de Caravaggio realizado durante a estadia do artista na Sicília em 1609. É o famoso Caravaggio roubado! Pois é, na madrugada de 17 para 18 de outubro de 1969 ocorreu esse furto e o quadro de Caravaggio nunca mais foi encontrado. Aparentemente também foram roubadas esculturas de Serpotta que, segundo algumas teorias, seriam destinados aos presépios de alguns chefões da época.

Oratórios de Palermo - San Lorenzo

Atualmente, no altar do Oratório de San Lorenzo, se encontra uma cópia do Caravaggio.

 

Oratório de San Mercurio

O Oratório de San Mercurio é o mais simples de todos, o único que resta dos três construídos pela companhia de Nossa Senhora da Consolação em São Mercurio.

Diz a lenda que o vice-rei Giovanni de ‘Vega, a partir das janelas do palácio real, percebeu durante três noites consecutivas um estranho fenômeno: uma luz aparecia ema área deserta, ou não habitada, em frente ao Palácio. Depois de algumas buscas, encontraram uma imagem de Nossa Senhora pintada em uma pedra. Foi assim que o vice-rei decidiu, em 1557, erguer acima do antigo antro San Mercurio, os oratórios e a capela dedicada a Nossa Senhora do Deserto, que guarda a imagem sagrada. Somente em 1572 o Senado de Palermo conceceu o edifício religioso à Sociedade de Nossa Senhora da Consolação em San Mercurio.

Oratórios de Palermo - San Mercurio

Serpotta tinha apenas 22 anos quando foi chamado para decorar o oratório junto com seu irmão. De fato, nota-se a a ausência de alegorias (Virtudes), representadas posteriormente nos outros oratórios, com figuras femininas em poses e atitudes terrenas.

Oratórios de Palermo - San Mercurio

As paredes mostram uma multidão de querubins subindo em torno das janelas, acima das perfeitas molduras barrocas. Toda a estrutura é na cor branca, que como vocês puderam notar é a característica de Serpotta.

Oratórios de Palermo - San Mercurio

Os alegres querubins brincam, seguram os símbolos de San Mercurio e, acima de tudo, eles interagem uns com os outros, em uma proeminência impressionante.

Quer visitar os oratórios de Palermo com uma guia que fala português? Eles fazem parte do tour Palermo Barroca realizado pela Raffaella! Saiba mais AQUI.

 

Como visitar os oratórios de Palermo

Os quatro oratórios ficam abertos todos os dias, das 10 às 18h. Os bilhetes funcionam da seguinte maneira:

  • Oratório de Santa Cita + Oratório de San Domenico: 6 euros (o bilhete dá direito a visitar os dois)
  • Oratório de San Lorenzo + Oratório de San Mercurio: 5 euros os dois, ou 2,50 cada (se você tiver visitado Santa Cita ou San Domenico, ou ainda outro lugar do circuito, ganha outro 1 euro de desconto)

Endereços:

  • Oratório de Santa Cita: Via Valverde, 1
  • Oratório de San Domenico: Via Bambinai, 18
  • Oratório de San Lorenzo: Via Immacolatella (em frente a Antica Focacceria)
  • Oratório de San Mercurio: Vicolo San Giovanni degli Eremiti (ao lado da igreja, quase em frente ao Palácio Real).

Assine nossa newsletter mensal e receba dicas da Sicília no seu e-mail!

Um Comentário

  1. Nós fomos apresentados aos vizinhos Santa Cita e San Domenico pela Raffaella: mto belos! Esse percurso pelo centro histórico de Palermo é um mergulho na alma dessa gente, só batendo perna por ali p/começar a captar sua estética, comportamento e valores.

    Ótimo seu artigo, conciso e esclarecedor!

Comente!

Veja mais