Ilhas Eólias

Dicas práticas para visitar as Ilhas Eólias

Por

Compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestEmail this to someonePrint this page

Todas as ilhas da Sicília são incríveis e as Ilhas Eólias não ficam atrás. O arquipélago é composto por 7 ilhas – Vulcano, Salina, Lipari, Panarea, Stromboli, Alicudi, Filicudi –, cada uma delas com suas próprias belezas e características.

Assim, para você que está planejando uma viagem, ou só mesmo um passeio de um dia, às Ilhas Eólias, reuni várias dicas práticas para facilitar a sua vida. Os tópicos que trato são os seguintes:

 

Quando ir para as Ilhas Eólias

Os meses melhores para visitar as Ilhas Eólias são Junho e Setembro. Os meses de Julho e Agosto são o pico da alta temporada, pleno verão, e justamente por isso, neste período, as ilhas ficam bem cheias de turistas e, consequentemente, os preços também ficam bem mais altos. Leve isso em consideração na hora de escolher quando viajar para a Sicília, é uma dica que vale para qualquer lugar da ilha.

Durante a baixa temporada, a maior parte dos hotéis e restaurantes ficam fechados. A única ilha onde há um pouco mais de movimento o ano inteiro, inclusive no inverno, é Lipari.

Ilhas Eólias - Sicília

A ilha de Salina vista de Lipari.

Como chegar às Ilhas Eólias

Antes de tudo é importante saber que o principal porto de onde saem as embarcações para a ilha é o de Milazzo, cidade localizada a cerca de 40km de Messina.

Então, antes de tudo, saiba como chegar a Milazzo:

    • De Trem: A estação ferroviária de Milazzo é uma das paradas dos trens que ligam Messina a Palermo, por isso há vários horários por dia. No entanto, se você se encontra em uma cidade da costa leste, como Catânia ou Taormina, terá que trocar de trem em Messina, mas não é nenhum problema. Consulte os horários dos trens para Milazzo no site de Trenitalia.

 

    • De ônibus: Há linhas de ônibus que conectam o aeroporto de Catânia a Milazzo. O serviço é efetuado pela empresa Giunta Bus, mas há poucos horários por dia. Por isso, se a sua ideia é chegar à Sicília de avião e já ir diretamente para as Ilhas Eólias, de transporte público, leve em consideração os horários dos ônibus para Milazzo, que você pode consultar AQUI. A viagem dura cerca de 1h50 e o bilhete custa 15 euros só ida e 26 euros ida e volta (você pode comprá-lo nos guichês SAIS que ficam foram do aeroporto).

 

    • De transfer: Você pode contratar um transfer particular para ir confortavelmente de Catânia, de Taormina ou de Messina ao porto de Milazzo. Veja AQUI como solicitar um orçamento.

 

    • De carro: Por Milazzo passa a  autoestrada A20 Messina-Palermo. É uma rodovia com pedágio, por isso fique atento. A tarifa do trecho Messina-Milazzo, por exemplo, para carros de passeio e motos, custa 2 euros. Já para quem vem de Palermo, custa € 8,20.

 

Onde estacionar em Milazzo:

Nos arredores do porto de Milazzo há vagas na rua, delimitadas por faixas azuis. O valor é de cerca  €4 por dia (só recomendo deixar o carro na rua se você for fazer só um passeio de um dia). Há também estacionamentos garagem, cobertos e não, que custam a partir de 11 euros por dia.

Se a sua ideia é passar vários dias nas Ilhas Eólias, faça bem as contas, pois alugar um carro pode não ser uma das melhores opções. Considere a tarifa dos estacionamentos ou, se pretende seguir até as ilhas de carro, também a travessia do veículo (quando possível, pois somente em Lipari e em Salina é possível circular de carro).

Ilhas Eólias - Salina

Uvas ao sol em Salina

Como fazer a travessia de Milazzo para as Ilha Eólias

Uma vez em Milazzo, agora é só atravessar. Para quem prossegue de carro, a solução é pegar o navio da companhia Siremar. Já para quem está a pé, a melhor opção é viajar com as embarcações velozes chamadas aerobarcos (ou aliscafi em italiano). De Milazzo a Lipari, a ilha mais próxima, a viagem dura cerca de 50 minutos. A companhia de navegação é a Liberty Lines. No verão, o bilhete de somente ida de Milazzo a Lipari custa 18,80 e é possível comprá-lo pela internet, coisa que eu aconselho a fazer, principalmente a quem viaja nos meses de julho e agosto.

Viajar para a Sicília

Aerobarco que conecta rapidamente a Sicília com as ilhas menores. Foto: Ustica Lines

 

Chegando às Ilhas Eólias via Messina, Palermo ou Reggio Calábria

Também é possível viajar para as Ilhas Eólias a partir dos portos de Messina, Palermo e Reggio Calabria, porém o custo das passagens é mais alto, a viagem bem mais longa e há poucos horários por dia. No caso de Palermo, por exemplo, só tem um horário por dia no verão. Você pode sempre consultar os horários no site da Ustica Lines.

Ilhas Eólias - Vulcano

Vista que temos ao subir o vulcão de Vulcano.

Como circular nas Ilhas Eólias

Nas duas maiores ilhas, Lipari e Salina, sem dúvida alguma vale a pena alugar um scooter ou um quadriciclo. Já nos arredores do porto de Lipari há várias locadoras e é possível alugar os veículos por algumas horas ou por dia. O aluguel de scooter fica por volta de 20 euros por dia (o preço duplica no mês de agosto!).

Em Panarea e em Vulcano dá tranquilamente para circular a pé.

Em Stromboli é possível utilizar os táxis (carrinhos elétricos com capacidade para 3 passageiros) ou alugar um scooter.

Ilhas Eólias - como circular

Os “táxis” de Stromboli.

Como fazer um passeio de 1 dia nas Ilhas Eólias

As Ilhas Eólias mereceriam bem mais que um rápido passeio, aliás, eu mesma visitei cinco ilhas em cinco dias e garanto que é muito, muito pouco. Mas não dá para querer tudo da vida, não é mesmo? Então, se você dispõe de pouco tempo e pretende fazer somente um passeio de um dia*, as opções de bate e volta são as seguintes:

 

    • Fazer tudo por conta própria, indo a Milazzo também por conta própria, como expliquei AQUI, e então pegar os barcos de linha da Liberty Lines. Note bem: dependendo do lugar de onde você parte na Sicília, esta opção pode ser inviável. Calcule bem os tempos de deslocamento!
    • Adquirir uma excursão que saia de Milazzo (é necessário ir a Milazzo por conta própria) – Duas empresas que fazem esse tipo de excursão são a Tarnav e a Navisal.
    • Escolher uma opção que saia de Taormina – Há duas opções saindo de Taormina: Lipari e Vulcano (veja AQUI), Panarea e Stromboli (veja AQUI). Esse tipo de excursão inclui o transporte em ônibus de turismo de ida e volta de Taormina até Milazzo e geralmente acontecem somente de Maio a Setembro, uma vez por semana.
    • Escolher uma opção que saia de Cefalù – São iguais às excursões que saem de Taormina, mas com partida de Cefalù. Tem Lipari e Vulcano (veja AQUI) e tem Panarea e Stromboli (veja AQUI).
    • Basear-se em Lipari e escolher uma das várias opções de passeios que combinam várias ilhas – Uma empresa que faz minicruzeiros saindo de Lipari é a Aliante.
Stromboli à noite

Fiz um tour Stromboli by night. Foi incrível!

Passeio pelas Ilhas Eólias

A embarcação deixando o porto de Lipari. Fiz esse passeio, saindo de Lipari com direção a Panarea e a Stromboli em 2014.

*Vale lembrar que os passeios de um dia às ilhas acontecem somente durante a primavera e o verão (do final de abril/início de maio ao final de setembro/início de outubro).

O que comer (e beber) nas Ilhas Eólias

Obviamente, sendo ilhas, a culinária das Eólias é baseada sobretudo em peixes e frutos do mar. Mas além disso, nas ilhas é grande a produção de alcaparras (quase onipresentes nos pratos, preste atenção nisto caso tenha algum tipo de alergia).

Ilhas Eólias - o que comer

Alcaparras e Azeitonas!

 

São pratos típicos das Ilhas Eólias:

  • Pasta all’eoliana: Massa com atum, tomates, azeitonas e alcaparras
  • Insalata all’eoliana: uma salada de batatas que pode levar atum ou polvo, além de tomates, cenoura e alcaparras
  • Pasta alla strombolana: Massa com anchovas, tomates e alcaparras
  • Sesamini: biscoitos de laranja cobertos de gergelim. Geralmente são servidos após as refeições juntamente com uma taça de vinho Malvasia.
  • Nacatuli: biscoitos bem elaborados, típicos do natal, enriquecidos com amêndoas, canela, aroma de tangerina e Malvasia.
Ilhas Eólias - pratos típicos: insalata eoliana

A salada eoliana na sua versão com polvo.

Onde se hospedar nas Ilhas Eólias

Há um bom número de estruturas hoteleiras nas Eólias, sobretudo em Lipari e em Salina, as duas maiores ilhas. Há hotéis de todos os tipos, desde resorts de luxo a pousadas e pensões. Aqui vão algumas dicas:

Resorts

  • Capofaro Malvasia & Resort – Localizado em Salina, é um resort 5 estrelas rodeado pelos vinhedos da famosa vinícola Tasca d’Almerita.
  • Therasia Resort and Spa – Localizado em Vulcano, é um dos mais exclusivos hotéis das Ilhas Eólias.

Hotéis quatro estrelas

B&bs e pousadas

Hotel nas Ilhas Eólias - Capofaro Resort

Foto: Capofaro Resort

Depois de todas essas dicas ainda tem dúvidas sobre quais ilhas visitar? Leia o que já escrevi sobre cinco das sete Ilhas Eólias (infelizmente ainda não conheço Alicudi e Filicudi) e veja quais mais se encaixam no seu perfil!

 

Assine nossa newsletter mensal e receba dicas da Sicília no seu e-mail!

15 Comentários

  1. Oi Patricia, tudo bem? O blog é excelente! Não há como ir de Tropea para as Eolias? Por logística, queria ir de Tropea para passar 3 dias nas ilhas e depois Taormina…
    E para Lampeduza só saem voos de Palermo? Muito obrigada, Luciana

    • Olá Luciana,

      De Tropea não saem barcos de linha para as Eólias. Só há passeios! Para ir às Eólias, você primeiro tem que vir para a Sicília.

      Quanto a Lampedusa, tem voos de Catania também. Escrevi sobre como ir a Lampedusa aqui: https://descobrindoasicilia.com/2016/12/como-ir-a-lampedusa/

      Um abraço,

      Patricia

  2. ola Patricia
    parabéns pelo site
    alguma dica para quem fica 4 dias em Siracusa?
    e 7 em catania ?

  3. Oi Patricia! De Tropea para as Eolias é muito contramão? Só estou encontrando excursões, mas queria um serviço como o da Siremar. Obrigada!

    • Oi Juliana!

      Você só está encontrando excursões porque não existem barcos de linha de Tropea para as Eólias. Você teria que vir para a Sicília! 🙂

      Um abraço,

      Patricia

  4. Oi Patrícia. Estou planejando passar elas Ilhas Eólias em 3/4 de setembro e estou com algumas dúvidas. O que seria melhor?
    Chegar á tarde em Milazzo e pegar o ferry para Lipari, pernoitar, fazer um passeio de barco pelas ilhas de dia inteiro até á noite e voltando para Milazzo? É seguro deixar o carro com malas em Milazzo e fazer a travessia á pé só com bagagem de mão? Melhor fazer a travessia de carro?
    Chegar mais cedo em Milazzo, fazer o minicruzeiro de dia inteiro e voltar á noite?

    • Olá Heloisa,

      Não é recomendável deixar as bagagens no carro, a menos que elas estejam no porta-malas, portanto não visíveis e em um estacionamento fechado. Fazer a travessia de carro sai bem mais caro (tanto vale pagar um estacionamento privativo em Milazzo!) e além disso você não vai rodar com ele, então acho uma despesa inútil. Só valeria a pena se você fosse ficar mais tempo em Lipari e você passear de carro lá.

      Para onde você prosseguiria depois de Milazzo? Pergunto porque, sendo um passeio cansativo, você poderia pensar em pernoitar em Milazzo ou então seguir viagem no mesmo dia, se você for para uma cidade próxima.

      Um abraço,

      Patricia

      • Oi Patrícia, boa noite! Obrigada por responder. Seus comentários sáo preciosos.
        Quanto á sua pergunta, para onde eu vou depois das ilhas Eólicas: eu ainda estou montando o roteiro, mas tenho a possibilidade de vindo de Palermo, chegar á tarde em Milazzo, atravessar até Lipare ficando apenas essa noite para no dia seguinte fazer o passeio noturno e retornar para Milazzo e seguir para Taormina ou emtão estando em Taormina, ir de carro até Milazzo, fazer o passeio pelas ilhas, voltando á noite para Taormina, sem pernoitar na ilha ou em Milazzo. O que você acha menos cansativo, dispendioso e melhor?
        Muito obrigada pela ajuda.

        • Oi Heloisa,

          Sinceramente eu acho a melhor opção você fazer esse bate e volta a partir de Taormina. O passeio noturno termina muito tarde (22/23h!) e nem sempre ele está disponível. Você pode até pensar na possibilidade de ir de Taormina com uma excursão.

          A opção de ir a Lipari vindo de Palermo seria interessante se você pudesse ficar na ilha duas noites. Porque aí você chegava, fazia a travessia com calma e no dia seguinte fazia o passeio de barco, descansava e seguia para Taormina no dia seguinte. Leve em consideração que mar cansa demais e os passeios de barco, com todo aquele balanço, deixa a gente com muito sono! Por isso eu acho complicado você terminar o passeio noturno e já seguir para Taormina. Pense nisso!

          • Muiro, muito e muito obrigada.
            Ajudou demais na decisão. Beijo.

  5. Oi Patricia!

    Irei à Sicília em maio, para ficar 7 dias (ainda desbravando teu blog para definir o roteiro). Chegarei de Bologna (via Palermo… é uma boa opção?), visitarei as Eólias por último (Stromboli), e logo partirei para Roma. Os trens que partem de Milazzo têm duração e horários muito ruins, e penso em retornar de avião. O que vc me recomenda? Muito obrigada!

    • Oi Tati,

      A chegada por Palermo ou por Catania vai depender do seu roteiro (por qual cidade você vai querer começar?). Se você vai visitar as Eólias por último, pode voltar pelo aeroporto de Catania, que é mais perto e tem ônibus direto de Milazzo pra lá. Realmente eu não recomendo voltar pra Roma de trem, porque os trens de longo percurso são péssimos e a viagem não é muito confortável. Além disso, comprando os bilhetes aéreos com antecedência, você consegue preços ótimos, principalmente com a Ryanair e com a Vueling.

      Um abraço,

      Patricia

  6. Boa tarde, Patrícia.
    Vamos para Stromboli no início de outubro.
    Algumas dicas serão bem vindas. Queremos fazer o trekking noturno até o Vulcão.

    Suas dicas são ótimas. Um abraço.

    • Olá Flávio!

      Eu ainda não fiz trekking em Stromboli (nem de dia e nem de noite), mas já dei outras dicas da ilha aqui: Stromboli: um passeio em um vulcão ativo

      No início de outubro você encontrará muita calma em Stromboli, a alta temporada já terá terminado, alguns hotéis provavelmente já terão encerrado as atividades e dá para aproveitar e conhecer mais o dia a dia da ilha. Outra dica que posso dar é que dá para fazer trekking sozinho, sem guia, em uma parte do vulcão (o chamado Sentiero A, que leva até o caminho da lava, a 400m de altitude), mas se você deseja ir ao topo do vulcão, eu te aconselho a contratar um guia especializado.

      Um abraço,

      Patricia

Comente!

Veja mais