Castelbuono, Sicília

Castelbuono: a cidade do maná e do melhor panetone

Atualizado em

Castelbuono é uma cidadezinha nas montanhas das Madonias, localizada a cerca de 90km de Palermo e 20km de Cefalù. Com seus pouco menos de 9000 habitantes, seria só mais uma cidade do interior, se não fosse que em Castelbuono é produzido um dos melhores panetones da Itália (e olha que o panetone nasceu em Milão, longe de ser um doce siciliano) e, óbvio, gulosa como sou, tinha que ir lá provar.

Quando estive em Cefalù, vi várias agências promovendo excursões até Castelbuono. Inclusive, saindo de Palermo, é fácil encontrar passeios de um dia a Cefalù e a Castelbuono. Do mar às montanhas em poucas horas, Castelbuono é uma daquelas cidades para quem gosta de ver a vida comum de quem vive no interior e onde passar um dia respirando ar puro e degustando o melhor da gastronomia.

Passei uma tarde, uma noite e a manhã do dia seguinte em Castelbuono. Pude ver a cidade debaixo de chuva, deserta na hora do almoço e bem vivaz à noite, quando a cidade inteira sai para passear pelas ruas do centro histórico, tudo isso em menos de 24 horas. Era um sábado e pude notar alguns turistas, mas poucos eram estrangeiros.

Catelbuono, Sicília: o castelo
O castelo de Castelbuono

Castelbuono (o Castelo Bom) tem esse nome graças, obviamente, ao castelo que a caracteriza, o qual foi construído por cima das ruínas da antiga cidade bizantina de Ypsigro, em 1316, sob ordem do conde Francisco I de Ventimiglia.

Castelbuono, Sicília
Castelbuono no momento da minha chegada à cidade: debaixo de chuva.

Visto que estava chovendo, iniciei meu passeio visitando o castelo, que hoje abriga o Museu Cívico de Castelbuono. Dada a sua posição, o castelo nunca teve função defensiva, sempre foi usado como uma das residências da família Ventimiglia, uma importante e poderosa família nobre da Sicília.

O castelo está muito bem conservado, apesar da sua forma atual não ser a original, já que ele foi reformado ao longo dos séculos e após um terremoto que aconteceu no início do século XIX. Hoje em dia, em suas salas, estão expostas obras de arte contemporânea, fotografias, alguns achados arqueológicos e objetos de arte sacra.

Castelbuono, Sicília
O pátio interno do castelo de Castelbuono

Sem dúvida a parte mais interessante do castelo é a capela. Lindíssima. Mais uma obra de arte de Giacomo Serpotta, artista de Palermo que viveu entre os séculos 16 e 17, um gênio na arte do estuco (gesso).

Capela de Santa Ana
Capela de Santa Ana
Capela de Santa Ana
A capela é semelhante aos oratórios de Palermo, também famosos por terem sido decorados por Serpotta.

Além dos estucos de Serpotta, a capela tem outra peculiaridade: nela está guardada uma relíquia. Para os católicos, trata-se do crânio de Santa Ana, relíquia que pertencia à família Ventimiglia desde o século XIII. Esta relíquia, no dia 27 de julho, percorre as ruas de Castelbuono em uma longa e antiga procissão.

Relíquia de Santa Ana em Castelbuono
à esquerda, uma parte do museu do tesouro de Santa Ana. À direita, no detalhe, o lugar onde está guardado o crânio, no centro do altar da capela.

Horários de funcionamento do Castelo:

  • Segundas e Quartas, das 9h30 às 13h
  • Quintas e Sextas, das 9h30 às 13h e das 15h30 às 19h
  • Sábados e Domingos, das 10 às 13h30 e das 15h30 às 19h
    O bilhete custa 4 euros.
  • Mais informações AQUI.

 

O maná de Castelbuono

Caminhando pelas ruas de Castelbuono é possível notar lojinhas e bancas que expõem produtos com escrito “manna di Castelbuono“. A manna, que em português significa maná (substância doce expelida pelo tronco de uma espécie de freixo, o freixo-do-maná, uma árvore da família das oleáceas), é produzida somente naquela zona da Sicília e por causa disso há um grande marketing sobre as propriedades medicinais do maná: dizem que faz bem a várias coisas, é laxante, purgante, é indicado em casos de indigestão, hipertensão, acalma a tosse, enfim, cura qualquer coisa. Se é verdade, não sei, mas os vendedores garantem.

 

Um panetone famoso no mundo inteiro

O panetone nasceu em Milão, mas um dos melhores da Itália é produzido em Castelbuono e leva o nome de Fiasconaro. E valeu a pena ter percorrido quilômetros e quilômetros para experimentar o famoso panetone, que é apreciado até por Madonna, porque ele é maravilhoso, inexplicável.

Como era período da Páscoa, ainda pude provar a colomba, doce pascoal italiano e parente do panetone. Ambos os produtos, colomba e panetone, são feitos com produtos tipicamente sicilianos. Lá encontrei panetone com chocolate de Modica, com pistache, com amêndoas, enfim, não só aquele tradicional com frutas cristalizadas que nem todo mundo gosta.

Panetone de Fiasconaro
Degustação de colomba com creme de café, de avelã e de creme de leite. De comer rezando!

Para vocês terem uma ideia, a fama do panetone de Fiasconaro é tanta, que eles produzem o doce o ano inteiro, não só no Natal. Então, independentemente do mês que você for a Castelbuono, jamais deixe de experimentar aquela maravilha!

 

Um passeio pelas ruas de Castelbuono

Além de visitar o castelo e de degustar o panetone de Fiasconaro, também vale a pena passear com calma pelas ruas da cidade, aproveitando a paisagem e o ar de interior do lugar. Veja mais algumas imagens:

Castelbuono, Sicília
Após a chuva, a visão nítida das montanhas das Madonias que dominam a paisagem ao redor da cidade.

Castelbuono, Sicília

Políptico na igreja Matrice Vecchia, uma obra de Antonello de Saliba, sobrinho de Antonello da Messina.
Políptico na igreja Matrice Vecchia, uma obra de Antonello de Saliba, sobrinho de Antonello da Messina.
Castelbuono, Sicília
Na chuva.
Castelbuono, Sicília
À noite. Detalhe para a igreja Matrice Vecchia (Matriz Velha), do século XIV.

 

Como chegar a Castelbuono

  • De ônibus: Há algumas linhas diárias de ônibus saindo de Palermo e de Cefalù para Castelbuono. A empresa é a Sais Trasporti.
  • De carro: Vindo de Palermo ou de Cefalù pela autoestrada Palermo-Messina, pegue a saída Castelbuono-Pollina. Mais uns 20 minutos de curvas, subindo montanha acima e chega-se a Castelbuono. Eu estacionei logo na entrada no centro histórico, na rua mesmo. O estacionamento é grátis.
Você pode visitar Castelbuono e Cefalù com uma guia de turismo que fala português. Clique AQUI para solicitar um orçamento!

 

ASICILIA5

Veja Também

Palácios nobres de Palermo

Palácios nobres de Palermo: conheça o Palazzo Mirto

Atualizado em 18/10/2019Palermo é repleta de antigos palácios nobres, as antigas residências da aristocracia siciliana. …

7 comentários

  1. Oi Patrícia, queremos muito conhecer Castelbuono após a leitura do seu post é naturalmente degustar este maravilhoso panetone, porém não sei se teremos tempo para incluir a cidade no roteiro.
    Sabe dizer se tem algum lugar em Palermo onde venda o panetone?
    Beijos!

    • Patricia Kalil

      Oi Flavia,

      A menos que você venha no Natal, você não encontrará o panetone Fiasconaro em Palermo. Se quiser comer esse panetone nos outros períodos do ano, você tem que ir a Castelbuono mesmo.

      Beijos,

      Patricia

  2. maria lucia pezatti

    Patricia,

    Gostaria de passar uns 6 meses na sicilia, Para isso, gostaria de alugar um apartamento, de preferencia em Siracusa.

    Vc teria alguma dica legal pra me passar?

    Um grande a abraço

    maria lucia

    • Patricia Kalil

      Olá Maria Lucia!

      O blog tem uma parceria com uma agência que aluga apartamentos para temporada em Siracusa (veja aqui: https://descobrindoasicilia.com/apartamentos-para-temporada-em-siracusa/). Para estadias de longos períodos, além dos apartamentos listados lá na página, há outros mais adequados para estes casos. Se algum deles lhe interessar ou quiser uma cotação para outro imóvel, por favor preencha um dos formulários localizados nas páginas dos apartamentos ou envie um email para info @descobrindoasicilia.com indicando o período da sua estadia e o número de pessoas.

      Obrigada e um abraço,

      Patricia

  3. Cilene Tineli

    Sem querer haviamos reservado um hotel em Castelbuono ( em julho) mas estávamos com muitas dúvidas sobre o lugar.
    Pelo que você falou, Patricia, vai ser muito legal passar uns dias aí, pois gostamos de curtir a vida real, cotidiana, conhecer as pessoas, respeitar os tempos e os espaços.
    Obrigada!!

Comente!