Logo

Palermo, Sicília

A questão segurança na Sicília

Por

Compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestEmail this to someonePrint this page

Este é um daqueles posts que eu deveria ter publicado logo quando lancei o blog, mas que não sei por qual motivo foi sempre ficando para depois. Bem, talvez eu tenha achado esse tema irrelevante, principalmente porque a Sicília é tão cheia de lugares lindos sobre os quais falar. A questão da segurança na Sicília é um tema que aflige muitos leitores, o que é normal, afinal a mídia não passa informações claras sobre este assunto.

 

A Sicília é um lugar seguro?

Essa é uma das perguntas que mais me fazem e que sempre respondi positivamente. Ninguém melhor do que um morador da região pode responder isso, pois me baseio nos fatos que marcam o meu dia-a-dia e não pelo que vejo na tv ou ouço falar, ou pior ainda, não me deixo levar pelos lugares-comuns que tanto perseguem a Sicília.

Sim, em linhas gerais considero a Sicília de hoje um lugar seguro. Obviamente não estou dizendo que aqui não existe microcriminalidade: é preciso ter cuidado com a bolsa, não dar bobeira com os objetos de valor. Batedores de carteira existem em qualquer lugar do mundo! No entanto, aqui na Sicília posso pegar um ônibus com tranquilidade, pois sei que não vai entrar um assaltante para saquear os passageiros, posso ir ao caixa eletrônico sem medo de sequestro relâmpago.

É claro que existem bairros que devem ser evitados, mas normalmente eles ficam bem longe das atrações turísticas. E mesmo que seu GPS enlouqueça e você vá parar num bairro pouco recomendado, as chances que você seja assaltado são ínfimas.

Algumas pequenas dicas, úteis para qualquer cidade grande da Europa:

  • Quando for passear, prefira usar uma bolsinha tiracolo ou uma mochila;
  • Não coloque todo seu dinheiro em um único lugar;
  • Nas estações, nos trens e nos ônibus fique sempre de olho na sua bagagem;
  • Se estiver de carro, ao estacionar, não deixe sua bagagem ou objetos de valor à mostra. Uma das coisas que os ladrões adoram fazer é quebrar a janela do carro pra roubar objetos.
  • Ao caminhar em ruas onde há tráfego de veículos, evite colocar sua bolsa no ombro mais próximo aos carros. Uma das técnicas dos ladrões é passar de moto e puxar a bolsa;
  • Ao pegar metrô ou ônibus cheios, esteja muito atento à sua carteira;
  • Tente manter distância dos ciganos e não aceite “ajuda” nas máquinas de emissão de bilhetes de trem;
  • Para quê chamar atenção com um cordão imenso de ouro ou um número excessivo de jóias. Desnecessário, não?

 

O problema dos imigrantes ilegais

Não tem um dia que esse não seja assunto nos jornais. São barcos e mais barcos superlotados de imigrantes que atravessam o Canal da Sicília em busca de oportunidades, fugindo das mais terríveis mazelas, das guerras. Mas se você me perguntar o que mudou na vida dos habitantes da Sicília com essa imigração de massa, eu responderia: quase nada.

Os imigrantes são resgatados e enviados para centros de acolhimento espalhados por toda a Itália. Lampedusa, que é um dos lugares que mais sofreram com a propaganda negativa, continua deslumbrante. Os turistas podem se divertir à vontade, quase não vão ver “rastros” dos imigrantes. Nas cidades maiores você perceberá que haverá alguns pedintes, principalmente nas portas dos supermercados e estações de trem, muitos vendedores ambulantes, mas a Sicília não foi tomada por uma multidão de africanos e por aqui tudo prossegue normalmente.

Imigrantes africanos na Sicília

Imigrantes sendo resgatados por um dos corpos de polícia da Itália. Foto: Reprodução

Apesar da gravidade do problema, a questão da imigração na Sicília praticamente já passou a fazer parte das nossas vidas. Sabe quando a gente se acostuma com uma coisa e quase nem se dá conta que ela está lá, firme e forte?

 

E a máfia?

Não caro turista, você não verá “mafiosos” vestidos com ternos risca de giz. A Sicília não é a Chicago dos anos 20 ou 30 e os mafiosos não se parecem com Al Capone. Don Corleone é uma figura do cinema e não um modelo a ser seguido.

A máfia é podre e infelizmente está enraizada na sociedade italiana. Ela lucra com as obras públicas, com o lixo e, claro com o tráfico de drogas. Os período entre os anos 70 e os anos 90 foi muito difícil para os sicilianos, principalmente para o povo de Palermo e arredores, tanto que ficaram conhecidos como anos de chumbo. Foram assassinados juízes, delegados, promotores, todos aqueles que tentaram de opor de algum modo à máfia.

Hoje em dia o turista nunca vai se dar conta que uma determinada atividade é administrada por um mafioso ou que fulano pertence a um clã. Vale lembrar que a microcriminalidade nada tem a ver com a máfia!

Cartaz

Cartaz incentivando as pessoas a apoiarem as lojas que não pagam propina (o chamado pizzo) à máfia.

E se você tiver alguma curiosidade sobre Corleone, a Thaís, uma leitora do blog, foi à cidade e contou tudo no roteiro dela. Veja AQUI!

Espero ter acabado com o seu receio de viajar ela Sicília, mas se ainda tiver alguma dúvida, é só escrever aqui na caixa de comentários.

***

 

Em 17/07/2015 este texto passou a fazer parte da Blogagem Coletiva sobre a segurança na Itália. Veja também os textos de:

Itália para brasileiros

KeViagem

Milão nas Mãos

O guia de Milão

Onde está Andrea

Passeios na Toscana

 

Assine nossa newsletter mensal e receba dicas da Sicília no seu e-mail!

27 Comentários

  1. Oi Patricia! tudo bem? Em breve estarei na Sicilia! Terei que ficar com meus filhos e marido até sair nossos documentos Italiano. Nesse meio tempo vou matricular meus filhos na escola ! O que você poderia informar sobre a educação na Sicilia? E o lazer para as crianças? Exitem parques ? Como funciona a Sicilia para as crianças? Mais uma dúvida,a respeito de emprego! existe facilidade nesse campo!? obrigada pela atenção!

    • Olá Lilian,

      Infelizmente não tenho conhecimento sobre as escolas da Sicília porque não tenho filhos. O que posso te dizer é que certamente vai variar muito de cidade para cidade. O que eu te aconselho é, antes de matricular seus filhos, ir conhecer as instalações das escolas, conversar com os diretores e ver o que cada uma delas oferece.
      Existem parques, as famílias costumam passear muito com os filhos nos centros urbanos, mas pelo mesmo motivo que citei acima, não posso te dar informações profundas! Muitos museus também oferecem atividades lúdicas para os pequenos, você vai ver que seus filhos irão se divertir.

      Quanto ao emprego, não, não existe nenhuma facilidade. Infelizmente a Sicília tem uma das mais altas taxas de desemprego da Itália. É preciso ter um pouco de sorte, daquele tipo “estar no lugar certo na hora certa”, ou então ter um bom Q.I., se é que você me entende.

      Espero ter ajudado!

      Um abraço,

      Patricia

  2. Olá Patrícia!
    Parabéns pela riqueza de informações e detalhes, muito úteis para os que pretendem conhecer um pouco da Itália. E tem muitas dúvidas, como eu.
    Estou pensando em estar aí em julho, mas como estou fazendo um curso de italiano, gostaria de ficar em casa de família. Conhece alguma na Sicília, para que eu possa ficar com meu marido?

    • Olá Sandra,

      Infelizmente ainda não conheço nenhuma família que hospede turistas aqui na Sicília, mas sei que no Booking é possível encontrar também este tipo de hospedagem e há várias opções em diversas cidades da Sicília. Dê uma olhadinha aqui: http://www.booking.com/homestay/

      Eu vou pesquisar mais sobre isto e se alguém souber me indicar alguma família, lhe aviso!

      Um abraço,

      Patricia

  3. Acabamos de chegar da Sicília, povo amigo e acolhedor, belas paisagens e história pura…boa comida e um lugar cheio de paz…

    • Oi Marcos,

      Fico muito feliz que tenha dado tudo certo na sua viagem. Aqui é realmente tudo isso que você disse!

      Um grande abraço!

      Patricia

  4. Patricia,
    Voce teria alguma indicaçao de comune ai na Sicilìa para entrar com o processo de cidadania que nao seja tao complicada, exigente com a documentaçao? Soube que algumas comunes aceitam a certidao de nascimento somente com averbaçao judicial da paternidade e algumas pedem o processo todo e declaraçao do genitor. Voce teria como me orientar com a indicaçao das comunes dai?

    Obrigada pela sua atençao

    • Olá Sonia,

      Infelizmente não tenho nenhum conhecimento sobre processo de cidadania e, portanto, não sei te informar qual comune é mais ou menos burocrático. A única coisa que posso te dizer é que teve um leitor aqui do blog que fez (ou ainda vai fazer) no comune de Noto. Entre em contato com eles para ver o que exigem!
      Sinto muito em não poder te ajudar mais, mas a minha especialidade é mesmo só o turismo na Sicília :).

      Um abraço,

      Patricia

  5. Olá, Patrícia!! Adorando seu blog!
    To com muita vontade de passar uns bons 15 dias na Sicília no próximo verão. Você escreveu este post sobre a segurança que me tranquilizou muito! Só me diga uma coisa, por favor… Apesar de não fazer muito tempo que escreveu, de quando o post foi escrito até hoje, algo mudou aí na Sicília por causa da intensificação da imigração dos sírios na Europa?
    Grazie! Grazie!!! 🙂

    • Oi Carol,

      Por aqui não mudou nada, aliás, o número de barcos de imigrantes chegando até diminuiu (porque é inverno, mar agitado). Na verdade a grande massa de imigrantes sírios não chega aqui pela Sicília, mas pelos países do leste europeu, então não temos tido problemas com isso.
      Pode vir tranquila!

      Um abraço,

      Patricia

  6. Irei para a Sicília em agosto/2016 para visitar uma amiga que conheci na Inglaterra. Ela sempre tinha medo de ficar andando a noite lá e dizia q era pq estava acostumada com Palermo q era assim. . E ela tinha tanto receio quanto eu e cheguei a pensar q era igual ao Brasil kkkkk… q bom q eh tranquilo então.

    • Oi Cristina!

      Não é tranquiiilo, tipo, que não acontece nada, mas nem chega perto do que acontece no Brasil. Lógico que é necessário prestar atenção nos seus pertecences, não dar bobeira com a bolsa, nem caminhar só por becos escuros à noite, mas isso é algo que é melhor não fazer em lugar nenhum do mundo! rrsrs

  7. MUITO BOM. IREI PARA SICILIA EM FEV 16 . VOU ANDAR DE CARRO. OBRIGADO.

  8. Ola vou viajar para Sicilia em janeiro, os meus receios neste monento sao o vulcão etna que entrou em dorte erupçao ontem e as tenpertaturas que poderao estar. Pode me dar alguma dica? Obrigada, adorei o blog

  9. Estamos com intenção de fazer a Sicília no mês de fevereiro /2016. È uma região que faz frio? Pretendemos fazer de carro porque somos 4 adultos e um garoto de 9 anos O problema de estacionamento é muito complicado? hotéis tem estacionamento? Se puder me ajudar ficaria grata. Izabel

    • Olá Izabel, tudo bem?

      Na hora de reservar os hotéis, verifique se eles oferecem este tipo de serviço (grande parte sim, mas certifique-se antes). A única cidade onde é complicado estacionar é Palermo, mas neste caso eu aconselho a escolher um hotel próximo ao centro ou no próprio centro e conhecer tudo a pé. Nas cidades pequenas, você dificilmente precisará de carro para se locomover dentro delas.

      Em relação ao frio, leia este post sobre o inverno na Sicília: https://descobrindoasicilia.com/2014/12/inverno-na-sicilia-saiba-como-e-e-que-tipo-de-roupa-usar/

      Um abraço,

      Patricia

  10. […] Descobrindo a Sicília […]

  11. […] nas Mão Passeios na Toscana Descobrindo a Sicilia O Guia de Milão Onde está Andrea Itália para […]

  12. Moro em Siracusa há 3 anos. Nenhuma história de bolsa ou carteira roubada. Ninguém rouba moto ou as roupas que são deixadas na calçada para secar. Vi a polícia atendendo um caso de roubo a banco. Os ladrões apanharam muuuito. Amo a Sicília e o seu povo.

    • Oi Marinês,

      Lembro que, quando minha mãe veio aqui me visitar, ficou abismada porque deixávamos nossas cadeiras, toalhas e o sombreiro na praia enquanto íamos no restaurante almoçar. A primeira pergunta que ela fez foi: “Como assim, vão deixar as coisas na areia? E ninguém rouba?”. Viver tranquilo não tem preço!

      • Olá tudo bem? E como é agora? A informação que passa é que oferecem casas para quem for viver aí, óbvio que tem de restaurar e tudo. Mas como é a vida no dia-a-dia?

        • Olá Carla,

          Infelizmente esta história das casas é bem distorcida. Não é bem assim. As casas oferecidas ficam no vilarejo de Gangi, um lugar lindo e seguro, mas o estado dos imóveis é bem ruim e é preciso restaurá-los seguindo determinadas regras. Escrevi sobre Gangi aqui: Gangi, Sicília: o que tem para ver lá?
          A vida na Sicília é, para alguns, ótima, para outros, péssima. Digo isso porque se você tem um bom trabalho e um lugar para morar, ótimo, mas a taxa de desemprego é muito alta. A Sicília tem muitos problemas de infraestrutura, mas é um lugar lindo, com tanta cultura e história. E muito mais segura do que cidades grandes como Milão, Roma, Paris ou Londres!

          Um abraço,

          Patricia

  13. Passei oito dias na Sicília, em Palermo, Agrigento e Taormina. Viajei de ônibus pelas estradas, caminhei à noite pelas ruas de Palermo (uma cidade do tamanho da minha Salvador, onde eu não faria isso nem que me pagassem bem), rodei por todos os lugares onde deu vontade, sempre na maior tranquilidade. Viajei sozinha e recomendo a linda e deliciosa Sicília pra todo mundo

    • Agradeço o comentário, Cyntia! Também tenho outras leitores mulheres que viajaram sozinhas e não tiveram problema algum!

  14. Estarei por aí brevemente e com seus esclarecimentos sobre a segurança na Sicília viajarei com tranquilidade.

  15. Com a experiência de três semanas rodando pela Sicilia em nenhum momento houve qualquer indício de perigo ou ambiente inadequado. Com o seria bom se tivessemos pelo menos um pouco dessa paz por aqui …

Comente!

Veja mais