Modica: Uma das Cidades Barrocas da Sicília

Por

Compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestEmail this to someonePrint this page

Situada a cerca de 15km de Ragusa, no sudeste da Sicília, Modica é uma cidadezinha muito pacata e uma meta ideal para quem ama arquitetura e a exuberância do estilo barroco, que dá o máximo de si nas inúmeras igrejas da cidade. Modica é uma das cidades do Barroco Tardio do Val di Noto e, junto com outras sete localidades, em 2002 foi declarada pela Unesco Patrimônio Mundial da Humanidade.

Modica é uma cidade muito antiga, fundada pelos gregos 100 anos depois da colonização de Siracusa e no passado foi muito rica e potente. Assim como as outras cidades do Val di Noto, foi destruída pelo terremoto de 1693 e reconstruída em estilo Barroco Siciliano. A cidade está localizada entre dois morros e se divide em Modica Alta e Modica Baixa.

Modica

Corso Umberto, principal avenida de Modica, com seus ricos palácios, símbolos do caráter aristocrático da cidade.

Por causa do relevo, a parte antiga da cidade parece amontoada em um só lugar e as casas construídas uma sobre as outras. A urbanização da cidade foi feita por níveis, conectados entre si por escadarias e ladeiras. No meio dos dois morros, na parte plana da cidade, localiza-se o Corso Umberto, a principal avenida da cidade, repleta de lojinhas de souvenirs e chocolaterias, porque Modica também é famosa por seu chocolate, cuja produção ainda é feita à moda antiga, e são utilizadas técnicas bem parecidas com aquelas da civilização AstecaExpliquei como é realizada a produção do chocolate modicano no post “Chocolate de Modica inaugurando a sexta gastronômica“.

Modica

As casas de Modica parecem construídas umas sobre as outras, mas ao caminhar por suas ruazinhas, o caos é até bastante organizado e não dá para se perder.

No Corso Umberto, no coração de Modica Baixa, está situada uma das igrejas mais bonitas da cidade, a Catedral de San Pietro, dedicada ao santo padroeiro de Modica, e construída no século XIV. A particularidade desta igreja é que a cor da fachada vai mudando de tom de acordo com a intensidade dos raios de sol. No fim do dia a pedra chega a ficar quase laranja.

Catedral de San Pietro em Modica

A Catedral de San Pietro de distingue por suas 12 estátuas de apóstolos em grandeza real

A cidade pode ser percorrida a pé, mas é necessário bastante fôlego para subir as onipresentes escadas, que podem ser de poucos degraus, conectando uma viela à outra, até as imensas escadarias das igrejas.

A propósito de escadaria, a outra grande atração de Modica é a imponente Catedral de San Giorgio, que acolhe o visitante com seus 250 degraus. A igreja é uma jóia do barroco e não dá para não contemplar os detalhes da sua fachada, que parece um bordado sofisticado, que o tempo ainda não conseguiu ofuscar.

Catedral de São Jorge em Modica

A Catedral de San Giorgio foi parcialmente destruída pelo terremoto de 1693. Sua reconstrução iniciou em 1716, terminando somente em 1848.

A Catedral de San Giorgio está situada na parte alta da cidade e lá de cima a vista é deslumbrante. Esta Catedral e a de San Pietro fazem parte da lista da Unesco de bens considerados Patrimônios da Humanidade.

Vista do alto, Modica é quase monocromática. Esta foto é de Clemens Franz (WikiCommons)

Vista do alto, Modica é quase monocromática. Esta foto é de Clemens Franz (WikiCommons)

Como já falei antes, Modica é uma cidade pequena, mas há bastante coisas para serem vistas. Um olhar atento consegue individuar uma luz peculiar, uma fachada interessante, uma varanda que parece pertencer a uma casa de bonecas. Sem dúvidas é uma cidade que merece ser visitada (bastam somente cerca de quatro horas), principalmente se arquitetura é a sua paixão.

Eu, cheia de disposição, para continuar subindo

Eu, cheia de disposição, para continuar subindo

 

Dicas e info úteis

– Ao chegar à cidade é necessário estacionar no início do Corso Umberto, pois em muitas ruas é proibida a circulação de veículos. Deixe o carro lá e vá curtir a cidade a pé;

– Uma parada para compras nas várias chocolaterias é obrigatória! Dá para provar de tudo um pouco antes de escolher o que levar para casa;

– Depois de ter mencionado a palavra “escada” inúmeras vezes, não preciso nem dizer que aconselho o uso de calçados adequados, não é? 🙂

 

Como chegar a Modica

De ônibus, a partir de Catânia, Palermo, Siracusa ou Ragusa com a empresa AST. Clique aqui, e em seguida em “linee e orari” para conhecer os horários e a duração da viagem;

De trem, saindo de Siracusa. O bilhete custa 7 euros e a viagem dura aproximadamente 2h. Veja os detalhes no site www.trenitalia.it.

De carro, veja o mapa abaixo.

 

Reserve já seu hotel em Modica!*

* Se você acessa o site do Booking através da caixa acima e faz uma reserva, além de ter utilizado um dos sites mais confiáveis do mundo, ainda ajuda o blog com uma pequena comissão. E o mais importante: nenhum encargo é repassado para você!

 

Curta o blog no Facebook!

Assine nossa newsletter mensal e receba dicas da Sicília no seu e-mail!

6 Comentários

  1. Patricia, vc tem idéia dos valores de estacionamentos deste tipo de cidade, pela Sicilia a fora? São muito abusivos? Ainda estou contabilizando os custos de ir ou não de carro, mas sei que pela Europa cobram bastante estacionamento, pedagio, etc. Pedagio e combustivel estou conseguindo estimar pelos guias na net. Vou em setembro de 2015.

    Obrigado,
    Parabens pelo blog!

    • Oi Victor!

      Normalmente nas cidades pequenas é fácil até encontrar estacionamento gratuito (na rua mesmo, onde há faixas brancas ou lugar sem faixa nenhuma, mas também onde não haja placa de proibido estacionar). Geralmente os estacionamentos pagos custam pouco, nas faixas azuis o preço varia de 0,70 a 1 euro por hora. No caso específico de Módica, não lembro exatamente o valor do estacionamento, talvez 0,80 por hora (ou dez centavos a mais ou a menos). Tinha deixado o carro em uma das faixas azuis localizadas no Corso Umberto (veja a foto após o segundo parágrafo). Caso não haja uma máquina automática, o bilhetinho do estacionamento pode ser comprado nos “Tabacchi”. Uma dica, se você for passar um dia inteiro na cidade, pergunte se há um bilhete “giornaliero”. Muitas vezes, depois de um certo número de horas, é mais vantagem comprar um desses.
      Outra coisa, aos domingos e feriados, o estacionamento é gratuito em muitos lugares. Quase sempre tem uma placa no local informando isso.

      Espero ter ajudado! Um abraço,
      Patricia

      P.S: Já ia esquecendo… o único lugar da Sicília cujo estacionamento tem preços altos é Taormina. Veja AQUI a tabela de preços de um dos estacionamentos fechados.

  2. Boa tarde Patricia,

    Estou amando seu blog!!
    Irei para Sicilia em maio do ano que vem. Na verdade, meu marido irá em um congresso e eu estou querrendo fazer um roteiro enquanto fico só. Ficaremos em Palermo, voce teria alguma dica? Estou com dificuldades de achar informações sobre a cidade.

    Obrigada ^^

    • Oi Paula, que bom que gostou do blog! Olha, ainda não escrevi nada sobre Palermo porque estive poucas vezes lá, mas daqui para maio já terei escrito várias dicas. Por enquanto, o que te posso sugerir é aproveitar a peculiaridade da cidade, com seus mercados pitorescos. Outra coisa interessante é a possibilidade de fazer passeios bate e volta para Cefalù, Monreale e para as incríveis praias de Castellammare del Golfo e Scopello.
      Fica ligada aqui no blog e nas redes sociais porque estou sempre dando dicas do que fazer na Sicília 😉
      Um abraço,
      Patricia

  3. Acompanho esse blog da Patricia há algumas semanas no intuito de planejar nossa viagem a Sicília em setembro próximo mas, a cada post, arranjo um problema: como encaixar no roteiro cada nova e excepcional dica a nós sugerida? Ou seja, quando pensamos que já temos no roteiro tudo de interessante na Sicília, lá vem a Patricia e nos apresenta um novo lugar imperdível como esse… rsrsrs. O melhor é que a cada semana ela nos mostra que a Sicília é muito mais do que Taormina e Etna. Obrigado, Patricia, já estamos aguardando o próximo post. Abraço!

    • Oi Ademir! Muitissimo obrigada por seu comentário e pela gentileza de suas palavras!
      Um grande abraço,
      Patricia

Comente!

Veja mais