cidade de Catania, Sicília

Catânia: uma cidade e inúmeras sensações

Atualizado em

Este não é mais um daqueles textos sobre o que ver ou fazer durante sua estadia em Catânia, muitos posts sobre as atrações turísticas ainda estão por vir, ele é, na verdade, uma visão geral sobre esta linda e problemática cidade que tem seu lugar reservado no meu coração.

Catânia não poderia deixar de ser a primeira cidade sobre a qual escrevo aqui no blog, por vários motivos: foi a primeira cidade siciliana onde coloquei meus pés; é aquela que mais frequento; é a cidade que me faz lembrar minha terra natal, Salvador.

Catânia
Fonte da Piazza Bellini, pichada e os sobrados e edifícios muito mal conservados.

Chegar em Catânia de avião é uma experiência que me emociona todas as vezes. São poucas as cidades que oferecem o privilégio de ver um vulcão da janelinha da aeronave. Seja feita pelo mar, seja feita pela parte interna, a aterrissagem no aeroporto de Fontanarossa fornece sempre imagens maravilhosas.

??????????
Chegando à Sicília no verão, com o Etna sem neve – Foto: Acervo Pessoal

Minha sensação logo na entrada da cidade foi a de um déjà vu, como se estivesse percorrendo as ruas da região da Cidade Baixa em Salvador: edifícios antigos, alguns infelizmente abandonados ao acaso, arquitetura barroca, trânsito caótico, descaso dos governantes. Senti-me em casa! Até os odores que sinto nas ruas de Catânia me lembram o centro histórico de Salvador! Bem, agora vou deixar de fazer comparações, senão acabo fugindo do tema.

Várias vezes li comentários do tipo: “Se for à Sicília, não perca seu tempo visitando Catânia, vá diretamente para Taormina”. Eu tenho uma opinião bem diferente desta. Acho que uma cidade fundada no ano 720 a.C (façam suas contas, vejam que idade tem esta senhora), tem muito a oferecer. E Catânia é uma cidade que concentra arqueologia, arte, folclore, natureza, sem esquecer da gastronomia, indescritível. Como não pensar na “Pasta alla Norma”, somente para citar um exemplo porque são inúmeras as iguarias,  massa com berinjela tomate e manjericão, criada em Catânia em homenagem à ópera Norma de Vincenzo Bellini, compositor catanês do início do século XIX (acho que mesmo quem não entende nada de ópera já deve ter ouvido pelo menos uma vez na vida a ária Casta Diva!).

Foto: Wikicommons
Foto: Wikicommons

Os apaixonados pela arquitetura barroca ficarão encantados com tantas maravilhas. A Catedral de Santa Ágata, o Palazzo Biscari, o Monastero dei Benedettini são exemplos únicos do barroco siciliano; o parque arqueológico greco-romano com as ruínas das termas, do Odeon Romano e do Anfiteatro; a Via Etnea, rua principal da cidade, com suas lojas, bares, restaurantes e as duas maravilhosas praças, a Piazza Università e a Piazza Duomo, onte está situada a catedral e a famosa estátua do Elefante, marca registrada de Catânia; o maior mercado da cidade, a pitoresca e caótica “fera ‘o luni” (que quer dizer ‘feira da segunda-feira’, mas que funciona todos os dias) com todos os seus personagens, quase folclóricos, e onde é possível encontrar de tudo.

Faça um passeio privativo em Catania com uma guia que fala português! SAIBA MAIS.
Piazza Duomo com a Catedral de Santa Ágata
Piazza Duomo com a Catedral de Santa Ágata – Foto: Acervo Pessoal
A estátua do elefante, ou como dizem os cataneses: "u liotru"
A estátua do elefante, ou como dizem os cataneses: “u liotru”

Saindo do centro da cidade e percorrendo a orla de Catânia, nos deparamos com um mar azul intenso que contrasta com as rochas escuras formadas pela solidificação da lava vulcânica. Durante o verão as rochas servem como base para as plataformas de madeira, e ali é possível tomar sol tranquilamente, como numa praia com areia. Para nós brasileiros, acostumados com quilômetros de praias de areias brancas, pode parecer estranho, mas um banho entre os recifes é delicioso e logo a gente se acostuma. Em Catânia também tem praia com areia, mas o charme da “scogliera” é incomparável.

Orla de Catania com a plataforma de madeira sobre os recifes de origem vulcânica - Foto: Acervo Pessoal
Orla de Catânia com a plataforma de madeira sobre os recifes de origem vulcânica – Foto: Acervo Pessoal

E, se depois de percorrer as caóticas ruas de Catânia, quiser dar uma relaxada em meio à natureza, dê um pulinho no Etna! Existem várias associações que fazem excursões com guias (não faça trekking sozinho!), mas também é possível ir de carro até o Rifugio Sapienza e ali mesmo conhecer duas crateras do Etna, tomas uma xícara de chocolate quente no bar ou ainda fazer um piquenique nos bosques.

É claro que, para um turista que pretende luxo, conforto e tranquilidade, a cidade não é mesmo o máximo, e neste caso sim, é melhor ir do aeroporto diretamente para Taormina. Mas se você, como eu, acha que viajar é experimentar e viver o lugar co tudo o que ele tem para oferecer, então perca seu tempo sim, e se entregue de coração à Catania.

 

ASICILIA5

Veja Também

Horários de funcionamento do comércio na Sicília

Atualizado em 15/08/2019Um erro muito comum de quem viaja para a Itália pela primeira vez …

18 comentários

  1. Oi Patricia! Adorei seu blog e saber que somos conterrâneas é ainda melhor. Eu e meu marido estamos indo para a Catania no dia 13 de setembro próximo. Será que poderemos dirigir apenas com a carteira de motorista sem o PID?
    E depois que viajarmos pela Sicília como devemos fazer para irmos à Costa Amalfitana? Tem que ser de avião? E de onde para onde? De Catania ou de Palermo? Para Nápoles ou para Sorrento? Xiii desculpe-me estou te sufocando de perguntas. Scusi! Um beijo e muito obrigada pela atenção.

    • Patricia Kalil

      Olá Barbara!

      Ah, somos conterrâneas, que legal! rssr

      Olha, para que um cidadão brasileiro possa dirigir na Itália é preciso a Carteira de Habilitação Internacional (PID) ou a Carteira de Habilitação Brasileira acompanhada de uma tradução juramentada e com validade de um ano a contar da data de chegada à Itália. A maior parte das locadoras não pede a PID, mas a lei italiana, sim.

      Essa informação você encontra inclusive no site do Consulado Brasileiro em Milão> http://milao.itamaraty.gov.br/pt-br/carteira_nacional_de_habilitacao.xml

      Tem gente que arrisca e vem sem a PID e só com a habilitação brasileira sem a tradução, porque a maior parte das locadoras não pede, mas se você for parado numa blitz, as coisas podem se complicar. Por isso eu te aconselho a ir ao Detran o quanto antes e solicitar a emissão da sua PID ou então procurar um tradutor juramentado.

      Para ir à Costa Amalfitana, você pode ir de Catania ou Palermo para Nápoles de avião. Uma vez no aeroporto de Nápoles, você decide se alugar um outro carro ou pegar um transporte para a cidade onde você estará hospedada. Outra opção é seguir de carro daqui da Sicília para lá.

      Eu escrevi sobre todos os modos de ir da Sicília para Nápoles aqui: https://descobrindoasicilia.com/2016/01/como-ir-de-napoles-para-a-sicilia/

      Um abraço,

      Patricia

  2. Olá Patricia,chegarei na Sicília no dia da Pascoela,feriado…Seguirei suas dicas …que parecem ser ótimas. Darei um retorno na volta…10 dias na Sicília…

    • Patricia Kalil

      Olá Mafalda,

      Divirta-se muito! Depois vou adorar saber como foi a sua viagem!

      Um abraço,

      Patricia

  3. Ciau!
    Em primeiro lugar, parabéns pelo blog! Muito bom, mesmo!
    Comecei a ler por querer conhecer a Sicília e acabei admirando muito essa baiana arretada que mora na ponta da bota!
    Moro no interior do estado de SP e gostaria de ter a melhor experiência possível na Sicília em uma viagem solo em cerca de duas semanas, sem usar carro e de modo econômico entre fim de março e começo de abril de 2017. Você poderia me dar umas dicas do melhor que eu posso vivenciar nesse pouco tempo e com parcos recursos?
    Já estive em alguns lugares do mundo, inclusive em Roma, que gostei muito.
    Logo vou me aposentar e sonho em morar em outro país. Pensava que seria na Espanha, mas depois de fui à Itália o coração balançou…
    Antecipadamente agradeço sua atenção!

    • Patricia Kalil

      Olá Vania!
      Nossa, que comentário lindo, muito obrigada mesmo!

      Antes de tudo, o conselho que te dou é que, na hora de traçar seu roteiro, certifique-se que as cidades realmente sejam interligadas por transporte público (parece algo óbvio, mas aqui na Sicília não tem transporte para todos os lugares não). Dito isso, viajar de transporte público é viável e tranquilo, desde que haja um bom planejamento inicial.
      Outra dica que te dou é que você dê uma olhadinha neste roteiro base -> https://descobrindoasicilia.com/2015/03/dica-de-roteiro-8-dias-na-sicilia/. Apesar de ser um roteiro de apenas 8 dias, ele inclui as principais atrações. Ele pode servir de inspiração para o seu, mas você acrescentaria mais dias em cada lugar e até mais passeios bate e volta se quiser.
      Outra dica ainda: Taormina é a cidade mais cara da Sicília. O leitor que escreveu o roteiro acima dormiu lá, mas se você achar que a hospedagem lá está cara demais para o seu orçamento, você pode dormir em Catania, que fica a apenas 1h de lá. Aliás, Catania é um ótimo lugar para ficar quando a pessoa vai usar transporte público. É uma cidade grande e de lá tem ônibus e trens para as principais cidades.

      Espero ter ajudado em algum modo e se tiver mais dúvidas, pergunte! Tenho o maior prazer em ajudar.

      Um abraço,

      Patricia

  4. Henrique Carboni

    Maravilha de cidade !!!!!

  5. Realmente Catânia tem algo diferente que oitras cidades da Sicília, ja não sei por quantas vezes estive aqui mas sempre descubro e redescubro o que ja vi. Vale a pena se hospedar e mergulhar de cabeça na historia desta cidade.

  6. Olá Patricia! Vou chegar em Catânia à noite e pelas fotos que vi da cidade fiquei com um pouco de medo rsrs Meu hotel é bem perto da Estação, posso ir à pé? É perigoso? Corro o risco de ser assaltada? Seria melhor pegar taxi mesmo pra andar 300m? Grata!!

    • Patricia Kalil

      Olá Cris,

      Assim como em muitas cidades da Itália, a área da estação de Catania não é exatamente o máximo. De qualquer maneira, não precisa ficar apavorada, assaltos não são coisas frequentes como a gente tá acostumada no Brasil. Se você irá caminhar só 300m não precisa pegar táxi não! Até um certo horário há um pouco de movimento, pessoas que voltam do trabalho, por exemplo. De madrugada é que é deserto!

      Um abraço,

      Patricia

  7. Estou em Catania e escolhi a cidade para conhecer o Etna, o que fiz hoje.
    Não quero badalação, quero é aproveitar a viagem. Estou adorando o povo, que fala alto e é hospitaleiro. A cidade é muito segura.
    E seu blog me ajudou a fazer esse roteiro pela Sicília.

    • Patricia Kalil

      Olá Francisco,

      Muito obrigada por deixar aqui suas impressões sobre Catânia. Pena que muita gente não pensa assim, só querem saber se paisagens e badalação para mostrar aos outros. Fico muito feliz que o blog tenha ajudado. Divirta-se muito!

      Um abraço,

      Patricia

  8. Patricia, boa noite!
    Bem, estou num dilema: se vou de Roma para Palermo e depois sigo para Catania e vou a Taormina. E retorno de Catania para Roma.
    Ou de Roma para Catania e depois conheco Taormina, onde pretendo ficar tres dias.
    Retorno para Roma de Catania
    Chego no dia 12/05 a noite e volto no dia 18/05.
    O bom que tivesse tambem em Catania um guia que falasse portugues ou vc acha que nao eh preciso?
    Agradeco a sua atencao.
    Emilia Cristina
    Sou de Recife

    • Patricia Kalil

      Olá Emilia,

      Só você mesma para resolver esse seu dilema, porque tudo vai depender do que exatamente você vai querer ver aqui na Sicília. Na minha opinião, como você pretende ficar 3 dias em Taormina, e só tem 6 dias disponíveis, então ficaria muito apertado colocar Palermo além de Catania, então neste caso o melhor seria a segunda opção, senão você teria que praticamente cancelar sua estadia em Catania, ficando somente em Taormina e Palermo (a ordem não importa).
      Eu infelizmente não conheço guias de turismo que falem português em Catania, mas considere que é uma cidade bem menor do que Palermo, então dá para passear sozinha numa boa.

      Um abraço,
      Patricia

  9. Olá Patrícia, parabéns pelo blog, tem muitas dicas interessantes! Vou estar em junho na Sicília por 5 dias, chegando de avião em Palermo e pretendo alugar um carro. Sei que o tempo é curto e pretendo ficar dois dias em Palermo e os outros dias em Catania, onde deixarei o carro e pegarei um voo de volta a Milano. Além de Catania em si, em sua opinião qual cidade valeria mais a pena conhecer em um passeio de um dia, Siracusa ou Taormina? Um abraço, Joaquim

    • Patricia Kalil

      Olá Joaquim!

      Que bom que gostou do blog!
      Olha, essa pergunta que você me fez, sobre escolher entre Taormina e Siracusa, é a mais difícil que já me fizeram aqui no blog :). Realmente eu não consigo dizer quem vale mais a pena e acho que você deveria fazer um esforcinho e tentar ver as duas. Se isso não for possivel de jeito nenhum, então escolha Taormina se prefere ver uma bela paisagem, ou escolha Siracusa se for apaixonado por história e arquitetura.
      Como as principais atrações de Catânia ficam concentradas no centro, de repente você consegue fazer o passeio para Taormina/Siracusa pela manhã e deixa para conhecer Catânia no fim de tarde/noite, até porque em junho só escurece depois das 20h!
      Um abraço,
      Patricia

  10. Adorei! Vou a Catânia em abril, se publicar mais dicas vou adorar conhecer tudo do lugar!
    😀 Beijos!

Comente!