Logo

Teste di moro - cabeças de cerâmica sicilianas

As cabeças de cerâmica nas varandas sicilianas

Por

Compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestEmail this to someonePrint this page

Não há cidade na Sicília onde você possa passear e não ver cabeças de cerâmica servindo de vasos de flores nas varandas ou ainda decorando salões e quartos dos mais elegantes hotéis. Essas cabeças de cerâmica são chamadas “teste di moro” (em português, cabeças de mourisco) e, assim como acontece em todas as tradições sicilianas, por trás desta há uma lenda muito interessante.

Teste di moro - cabeças de cerâmica sicilianas

As cabeças de cerâmica em uma varanda de Taormina.

Teste di moro – A Lenda

Reza a lenda que, durante o século XI, no coração da Kalsa, o bairro árabe de Palermo, vivia uma jovem siciliana muito bonita, com longos cabelos negros e olhos azuis como o Mar Mediterrâneo. Ela passava o dia inteiro fazendo jardinagem, tanto que sua varanda era repleta de flores e plantas exóticas.

Um certo dia, um jovem comerciante mourisco estava passando pela rua onde morava a menina e foi atraído pelas flores daquela varanda. Ele esperou para ver quem era o proprietário de flores tão bonitas e assim que ele viu a menina, se apaixonou completamente por ela, pois nunca tinha visto tanta beleza. Depois de ter declarado seu amor sincero, o rapaz começou a passar na frente da janela da menina todos os dias até que ela se apaixonou por ele também e os dois iniciaram a viver um grande amor, até que um dia o jovem mourisco disse-lhe que teria que voltar para o seu país onde sua esposa e seus filhos o estavam esperando. A jovem, com o coração partido e a honra perdida, decidiu planejar uma vingança.

Um dia antes da viagem do mourisco, ela o convenceu a passar a última noite de paixão juntos. Então, quando ele adormeceu, a menina cortou a cabeça dele e a transformou em um vaso dentro do qual plantou manjericão e o expôs na varanda, de modo que ele nunca mais a deixasse. O manjericão cresceu tão vigoroso, ao ponto de causar inveja na vizinhança e de todo mundo querer ter um igual. Foi assim que começaram a criar vasos em forma de cabeça de mourisco!

Teste di moro - cabeças de cerâmica sicilianas

A partir daquele momento, as reproduções de vasos em forma de cabeças se multiplicaram tanto ao ponto de se tornarem um símbolo da arte da cerâmica siciliana.

Uma outra versão, sempre ligada à traição e que justificaria também a presença de uma cabeça feminina, recorda o tempo da monarquia. Se diz que a rainha havia traído o rei da Sicília com um árabe. Quando o soberano descobriu, ordenou a decapitação dos dois amantes e exibiu as cabeças como um aviso para traições futuras.

Teste di moro - cabeças de cerâmica sicilianas

Tradicionais, no showroom das cerâmicas Varsallona, em Caltagirone

Seja qual for a origem das cabeças de cerâmica, o que sei é que hoje em dia elas estão por todas as partes, não só decorando as varandas, mas também estão presentes em jóias e até nas coleções de Dolce & Gabbana.

Teste di moro - cabeças de cerâmica sicilianas

Estilizadas, decorando a entrada de um restaurante em Taormina.

As cabeças de cerâmica sicilianas são fruto do trabalho de incrível e da criatividade de experientes artesãos locais. Elas podem ser encontradas em todos os tamanhos e cores: há cabeças negras, multicoloridas, mouriscos com barba e sem, com limões e laranjas, cabeças femininas com coroa ou com turbantes, de olhos azuis ou castanhos.

Teste di moro - cabeças de cerâmica sicilianas

Cabeças ainda em fase de criação no ateliê do artista Riccardo Varsallona, em Caltagirone.

Teste di moro - cabeças de cerâmica sicilianas

Diferentes cabeças femininas decoram os quartos do Donna Coraly Resort em Siracusa.

 

Onde comprar as cabeças de cerâmica

Sempre me perguntam onde comprar cerâmicas sicilianas. Bem, é possível encontrar essas belezas em qualquer cidade turística da Sicília, sempre haverá uma loja especializada em cerâmica. No entanto, se você quiser comprar diretamente com os artesãos, eu sempre recomendo ir a Caltagirone, conhecida como a cidade da cerâmica. Outras cidades sicilianas famosas por suas cerâmicas são Santo Stefano di Camastra, Burgio e Erice.

Sobre o preço: Vale ressaltar que as cabeças de cerâmica são artigos de muito prestígio. Uma cabeça de verdadeira cerâmica de Caltagirone, de cerca 30cm de altura, pode custar pelo menos 250, 300 euros.

5 Comentários

  1. Realmente, estou passando 19 dias na Sicília e em tudo quanto é lugar eu vejo essas cabeças (Palermo, Ragusa, Noto, Siracusa e Catânia). Estava curioso em saber o que eram, que bom que você postou esse artigo, obrigado! O artigo sobre o símbolo na bandeira também foi bastante interessante. Tenho acompanhado o site há meses desde que comecei a planejar a viagem, me ajudou bastante. Abraço, Fernando.

    • Fico feliz que tenha gostado, Fernando!

      Realmente a história das cabeças é muito curiosa.

      Um abraço,

      Patricia

  2. Pura verdade!! Passei 11 dias na Sicília e não vi quase nada!!
    Tirei as praias porque era inverno, mas faltou ainda muuuuita coisa. A Sicília é MARAVILHOSA!!!!! Voltei apaixonada!!! Minha próxima viagem à Itália será na primavera e farei Sardenha, Costa Amalfitana e SICÍLIA novamente! Ahhhh Catânia e seu entorno, Aci Trezza e Aci Castelo, bem como Savoca NÃO podem ser riscados do roteiro!!
    I ❤️ Sicília! O povo, gastronomia, a beleza e a história riquíssima!!!
    Bjs com sabor de canoli, aranchino, Nero D’avola e Etna Rosso!!

  3. Ola
    Patricia

    Achei ótima matéria, espero poder conhecer a Sicília, fui até Nápoles e retornei para Roma, não dava mais tempo para ir mais para o Sul. Estou pensando assim que a situação do Brasil der uma melhorada penso em retornar e já descer em Nápoles e ir até a Sicília.
    Sei também que as coisas por ai não andam bem, mas temos que seguir em frente!!
    Vou colocar essa matéria na minha rede social, e tendo outras envia pra mim!!
    joaoantonio@decornews.com.br
    Grande abraço, parabéns por suas matérias, no que precisar à disposição.

    João Antonio

    • Olá João!

      Que bom que gostou do meu artigo e obrigada por compartilhá-lo.

      A Sicília merece uma viagem inteiramente dedicada a ela, é outro mundo! Aliás, o sul da Itália todo merece ser visto.

      Eu todos os meses envio uma newsletter com as novidades sobre a Sicília e os novos artigos que publico. Se tiver interesse, pode se inscrever aqui: http://eepurl.com/bL_iiX

      Um abraço,

      Patricia

Comente!