Logo

Em Catânia: Mitos e belezas de Aci Castello e Acitrezza

Por

Compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestEmail this to someonePrint this page

Existe uma parte do litoral norte de Catânia carregada de mitos e desenhada por antigas erupções do Etna, duas cidadezinhas que inspiraram um grande romance da literatura italiana, Os Malavoglia, de Giovanni Verga. Estou falando de Aci Castello e Acitrezza, as duas principais atrações da chamada Costa dos Ciclopes (em italiano, Riviera dei Ciclopi).

Como vocês podem notar, o nome de ambos os lugares começa com Aci, e há outras cidades da Sicília, sempre na região de Catânia, cujos nomes iniciam da mesma maneira: Acireale, Aci Santo Antonio, Aci Catena e outras. Então, como eu gosto de contar histórias, antes de iniciar a contar o que tem para ver em Acitrezza e Aci Castello, explico o que significa esse tal de Aci…

 

O mito de Ácis e Galateia

Segundo a mitologia grega, o jovem pastor Ácis, filho do deus Pã, protetor dos montes e dos bosques, amava profundamente Galateia, uma linda ninfa marinha de pele branca como o leite (seu nome significa justamente “donzela branca”). A ninfa retribuía o amor de Ácis e os dois viviam uma grande história de amor.

Certo dia os dois amantes foram flagrados pelo ciclope Polifemo, que também era apaixonado por Galateia. O amor entre os dois jovens suscitou a ira do gigante, que tomado pelo ciúme, jogou uma enorme rocha em cima de Ácis, esmagando-o.

Assim que Galateia ficou sabendo da morte do seu amado, correu até o lugar onde jazia o corpo do rapaz. Ao vê-lo, derramou todas as lágrimas que seu corpo era capaz de produzir. Os deuses, com pena da ninfa, transformaram Ácis em um lindo rio que desce do Etna e desagua no trecho da praia onde os dois amantes costumavam se encontrar.

Esse rio realmente existe, mas hoje em dia ele é na maior parte subterrâneo. Suas águas jorram onde atualmente existe a vila de pescadores de Capo Mulini, e por causa da sua cor avermelhada, o rio passou ficou conhecido como “o sangue de Ácis”

Sempre lá onde fica Capo Mulini, existia um vilarejo chamado Aci (é o correspondente em italiano para Ácis), mas no século XI ele foi destruído por um terremoto, provocando o êxodo dos sobreviventes, os quais fundaram outras cidades. Assim, para lembrar a antiga cidade destruída, os prófugos batizaram com o nome de Aci cada nova cidade fundada, mas adicionando algo que as distinguisse.

 

Aci Castello

O nome Aci Castello é devido ao castelo construído pelos Normandos no ano 1076. Naquele tempo, ele ficava no alto de uma rocha originada pela lava vulcânica, totalmente circundado pelo mar. Pouco menos de 100 anos depois, em 1169, ocorreu uma erupção tão violenta do Etna que a lava foi descendo pelas encostas do vulcão e chegou até o mar. Com isso, depois da lava ter se solidificado, a ilhota onde estava situado o castelo deixou de existir, tudo passou a ser uma coisa só.

Aci Castello

Foto: Luigi Strano

O castelo e o maravilhoso panorama são as maiores – para não dizer únicas – atrações de Aci Castello. Como a cidadezinha fica colada em Catânia, tanto que você não sabe onde termina uma e começa a outra, ela é um point dos locais que adoram frequentar a pracinha na frente do castelo nos finais de semana. Ali as crianças têm um espaço para brincar livremente enquanto os pais se distanciam por um momento do caos do centro de Catânia.

Aci Castello

Aci Castello vista do mar de Acitrezza

Dentro do castelo, que é negro como a rocha sobre a qual está posicionado (estamos sempre falando de lava solidificada), há um pequeno museu com alguns achados arqueológicos, minerais e exemplares de lava sólida, além de um jardim de plantas suculentas.

 

Una foto pubblicata da Marco Putrino (@pumanet) in data:

 O castelo fica aberto todos os dias, inclusive aos domingos e feriados, das 9 às 13h e das 15 às 17h (de abril a junho o horário de fechamento passa a ser 19h; de julho a setembro vai até as 20h30). Como o castelo não tem muito a oferecer, o bilhete de entrada é “simbólico”. O inteiro custa € 3,00; crianças até 6 anos não pagam e de 7 a 10 anos pagam € 1,00. Os maiores de 65 anos pagam € 1,50.

Como citei no início do post, foram as erupções do Etna ao longo dos séculos que desenharam a paisagem do litoral de Catânia. Passeando em Aci Castello vocês irão notar que a inteira costa é caracterizada por rochas escuras e não há nenhum trecho de praia de areia. Aquilo é lava solidificada, então imaginem a potência das erupções!

 

Acitrezza

Além da lenda de Ácis e Galateia, há outro mito que caracteriza a peculiar vila de pescadores de Acitrezza, que fica a somente dois quilômetros depois de Aci Castello, desta vez ligada à Odisseia e ao herói grego Ulisses. Homero, na Odisseia, narrou as desventuras de Ulisses na terra dos ciclopes, na ilha Trinacria (a Sicília). Quando os homens desembarcaram na ilha, foram procurar abrigo em uma caverna (esta hipoteticamente se encontraria no Etna). Lá havia algumas ovelhas, mas parecia desabitada. Imaginaram que dali a pouco o pastor voltaria para recolher as ovelhas e então tentariam negociar com ele a compra de queijo e de alguns animais, mas eis que surge Polifemo, gigante de um olho só, filho de Poseidon, deus do mar. Polifemo capturou Ulisses e comeu 6 homens da tripulação. Ulisses, no entanto, conseguiu elaborar um plano para enganar Polifemo: ofereceu vinho ao gigante para embebedá-lo.

Quando o gigante, bêbado, adormeceu, Ulisses e os outros homens aproveitaram para espetar o olho do ciclope com uma vara, cegando-o, antes de fugirem da caverna. Polifemo acordou atordoado, mas os homens conseguiram chegar até o navio. O gigante tentou então atingir o navio, lançando rochedos no mar. Esses rochedos seriam os farelhões (faraglioni) que hoje encantam o mar de Acitrezza e que também são chamados Isole dei Ciclopi (ilhas dos Ciclopes).

Os faraglioni de Acitrezza

Os mitológicos rochedos de Acitrezza.

Deixando a mitologia de lado, Acitrezza é uma vila muito animada e geralmente é bem movimentada nos fins de semana. No verão então, o lugar lota, inclusive porque é uma das praias mais bonitas do litoral de Catânia. Apesar das pedras, que realmente incomodam (principalmente nós acostumados com os quilômetros e quilômetros de areia fina das nossas praias tupiniquins), a praia é invadida pelos banhistas. Há um estabelecimento balnear chamado Lido dei Ciclopi e no verão eles montam uma plataforma sobre as pedras e uma escada de acesso ao mar. Assim, as pessoas mergulham como se estivessem entrando em uma piscina e é um tipo de praia muito apreciado pelo pessoal de Catânia.

Mesmo no inverno, Acitrezza não perde seu fascínio. Eu particularmente adoro passear por lá num domingo de manhã para respirar um pouco de ar puro. Nem parece que estou há poucos quilômetros da cidade grande! Depois, aproveito para almoçar em um dos tantos restaurantes especializados em frutos do mar. Uma imagem de Acitrezza no inverno:

No centro da vila de Acitrezza há uma réplica do barco Provvidenza, o famoso barco dos Malavoglia (quem leu o livro, sabe do que se trata).

Dicas de Catânia: Aci Castello e Acitrezza

O barco dos pescadores do romance e…

Dicas de Catânia: Aci Castello e Acitrezza

… os barcos dos pescadores da vida real.

 

O passeio de barco

A propósito de barco, uma das coisas mais legais que se tem para fazer em Acitrezza é um passeio de barco ao redor da Ilhas dos Ciclopes. Ao longo do cais há sempre um ou mais pescadores que nos finais de semana tentam ganhar uma graninha extra oferecendo um passeio que dura cerca de 30 minutos.

O mar tranquilo e super azul é fascinante e a vontade que dá é de mergulhar naquelas águas. De fato, se você visita Acitrezza no verão, não deixe de dar um mergulho ali e/ou alugar um caiaque ou um pedalinho.

A ilhota que faz companhia aos farelhões se chama Lachea e por ser o habitat de muitos animais e plantas ameaçados de extinção, passou a fazer parte de uma reserva ambiental que inclui também os outros rochedos. Ah, ia esquecendo: lembram da lenda de Ácis lá no início do texto? A rocha que teria matado o pastor, lançada por Polifemo, teria rolado até o mar, formando a ilha de Lachea.

A ilha de Lachea

A ilha de Lachea

Acitrezza

Fiquei encantada com todas essas gaivotas tomando sol na rocha, imóveis.

Durante todo o meu passeio de barco uma nuvem chata cobriu o Etna. Só no final ela foi se dissipando e consegui fotografar a pontinha do vulcão.

Para concluir, eu realmente aconselho você a fazer este passeio durante a estadia em Catânia. Aci Castello e Acitrezza são dois lugares que não têm nada a ver com o que a gente está acostumado a ver no centro da cidade. Além disso, lá se come muitíssimo bem peixes e frutos do mar (estou falando de uma vila de pescadores!).

Outra dica legal: você pode deixar para fazer esse passeio num fim de tarde e fechar com chave de ouro o dia tomando um drink com vista para o mar em um dos cafés ou barzinhos, como o Café de Mar ou o Caffè Visconti.

 

Como chegar a Aci Castello e a Acitrezza

  • Com o ônibus urbano a partir de Catânia: O ônibus nº 534 vai do centro de Catânia até Acitrezza. Você pode verificar os horários e as paradas aqui. A viagem pode durar de 20 a 40 minutos, dependendo do trânsito.
  • De carro seguindo pelo litoral de Catânia. Dependendo do dia, estacionar pode não ser muito simples (principalmente no verão e aos domingos e feriados, nos outros dias é ok), mas em Aci Castello há um grande estacionamento fechado chamado “Cesare Battisti” (eu sei, é o nome do terrorista italiano, mas não é a mesma pessoa rsrs) e algumas zonas de faixa azul. Atenção porque nas proximidades do castelo é proibido o trânsito de veículos. Em Acitrezza há lugares para estacionar nas proximidades do porto.

 

E como ir de Aci Castello a Acitrezza?

Aci Castello e Acitrezza distam somente 2km uma da outra, portanto, dependendo da sua disposição e da temperatura (não aconselho a fazer essa caminhada em um dia de muito calor), é possível ir a pé.

Eu gostaria muito que existisse um calçadão que ligasse os dois lugares, mas não há. Então será necessário fazer alguns desvios. Caso você esteja passeando de dia, entre os meses de fevereiro e dezembro (exceto 25, 26, 31/12 e 01/01), você pode seguir pela Via Guglielmo Marconi e descer as escadinhas na altura do cais, e então seguir pelo Lungomare Scardamiano até o Lido dei Ciclopi (veja no mapa abaixo onde há o bonequinho). Entre e vá seguindo as indicações “passaggio pedonale“. O lido é um estabelecimento privado, mas os pedestres que o atravessam somente para ir até Acitrezza não precisam pagar. Eu destaquei o “passeando de dia” porque o Lido dei Ciclopi só fica aberto das 9 às 16h).

Reserve já um hotel em Catânia!*

* Se você acessa o site do Booking através da caixa acima e faz uma reserva, além de ter utilizado um dos sites mais confiáveis do mundo, ainda ajuda o blog com uma pequena comissão. E o mais importante: nenhum encargo é repassado para você!

Curta o blog no Facebook!

Assine nossa newsletter mensal e receba dicas da Sicília no seu e-mail!

Um Comentário

  1. Olá!
    Realmente é um passeio muito legal. Fomos até AciTrezza de ônibus e depois voltamos até Aci Castello na caminhada admirando a paisagem. É incrível ver a força da natureza nesses dois lugares. O castelo normando e a vista lá do alto são fantásticos.

Comente!